Ouvindo...

Times

‘Zema foi irresponsável': ministro de Lula critica governador em negociação da dívida de Minas

Alexandre Silveira afirma que Zema deixou a conta para os servidores do estado, e ativos de Minas Gerais precisam ser federalizados para evitar colapso econômico

O Ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira (PSD), teceu duras críticas ao governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), na manhã desta quarta-feira (10), momentos antes de embarcar para uma agenda em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, ao comentar sobre as negociações da dívida do estado com a União.

Segundo Silveira, Zema foi “irresponsável com os mineiros”, aumentando a dívida do estado (atualmente em R$ 165 bilhões) e, de acordo com o ministro, deixando a conta para os servidores.

“Eu acho que o governador foi irresponsável com mineiras e mineiros. Minas devia R$ 110 bilhões para a União, isso é um número objetivo, e passou a dever R$ 165 bilhões. Está à beira do colapso econômico e financeiro. Ele tenta empurrar a conta para o servidor público, e quando ele trata o servidor como vilão da sociedade, não tem a noção clara”, afirmou.

Recentemente, Zema conseguiu aprovar na Assembleia Legislativa de Minas Gerais um reajuste de 4,62% para os servidores do estado, um percentual abaixo do almejado pela categoria. Diferentes carreiras defendiam um aumento salarial de pouco mais de 10% para cobrir as perdas inflacionárias de 2021, 2022 e 2023. O reajuste concedido pelo governo compensa apenas o índice do ano passado.

O governador também articula para aprovar na ALMG um projeto que aumenta a contribuição dos servidores estaduais ao Ipsemg - o Instituto de Previdência Social do Estado de Minas Gerais. A proposta é que, caso a proposta seja aprovada, o valor mínimo passe dos atuais R$ 33,02 para R$ 60, enquanto o teto subirá de R$ 275,15 para R$ 500. A proposta está pronta para ser votada em plenário na Assembleia. No entanto, segundo o presidente da Casa, Tadeu Martins Leite, a votação deve ficar apenas para o segundo semestre.

Leia também

“Nosso estado, perante outros estados da Federação, não se desenvolveu nos últimos anos, e me espanta não compreender onde foram parar R$ 55 bilhões, sendo que a única coisa que Zema fez foi pagar a conta do servidor, que era mais do que obrigação dele”, relatou o ministro de Lula.

Ainda segundo Alexandre Silveira, o governador não tem conhecimento das diferenças sociais do Brasil e, por isso, não deu a valorização pretendida pelos servidores. “Até porque ele não compreende o Brasil, viveu em uma bolha em Araxá e não entende que o Brasil tem diferenças sociais, e Minas Gerais é o retrato mais fidedigno do país. Ele não conhece o semiárido mineiro, a miséria, fome, pobreza. Então ele não compreendeu a importância do desenvolvimento regional do nosso Estado”, disparou.

As declarações de Silveira foram dadas após o ministro ser perguntado se concordava com a federalização de estatais mineiras para abater um valor da dívida com a União. “Se ele for responsável, ele coloca esses ativos para poder não colapsar Minas Gerais”, concluiu.

O que diz o governo de Minas

Procurado pela reportagem da Itatiaia, o governo de Minas ainda não se manifestou sobre as declarações do ministro Alexandre Silveira. A matéria será atualizada assim que recebermos o retorno.


Participe dos canais da Itatiaia:

Graduado em jornalismo e pós graduado em Ciência Política. Foi produtor e chefe de redação na Alvorada FM, além de repórter, âncora e apresentador na Bandnews FM. Finalista dos prêmios de jornalismo CDL e Sebrae
Leia mais