Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Padre Kelmon é trocado por Pablo Marçal em eleição de SP e acusa partido de ‘maracutaia’ e ‘falta de palavra’

Kelmon pretendia se lançar candidato a prefeito em São Paulo, mas foi preterido após decisão do PRTB de lançar coach Pablo Marçal

Retirado da eleição pela Prefeitura de São Paulo, Padre Kelmon divulgou uma nota neste sábado (13) criticando a decisão do PRTB e disse que na política “são poucas as pessoas de palavra ou caráter forte”.

O PRTB anunciou nesta semana que iria fazer uma mudança na pré-candidatura da sigla para a disputa na capital paulista e trocou o nome de Padre Kelmon, que foi candidato a presidente da República na eleição de 2022, pelo empresário e coach Pablo Marçal. Em março, Kelmon chegou a lançar sua pré-candidatura em São Paulo e anunciou susa principais propostas para a capital paulista.

Na campanha de 2022, Padre Kelmon ficou conhecido após sua performance em debates, com bate-bocas com a senadora Soraya Thronicke e com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em carta divulgada neste sábado (13), Padre Kelmon lamentou não ter sido comunicado da decisão do partido sobre a troca nas pré-candidaturas.

“Já foi divulgado pelo partido PRTB que não serei mais seu candidato a prefeito da cidade de São Paulo no pleito deste ano. Apesar da notícia repentina, já era esperada em virtude da natureza política que acomoda seus iguais de acordo com os ventos propícios resultado do descumprimento de acordos apalavrados resultando assim ao enfraquecimento de opções para o povo paulista melhor escolher seus representante”, escreveu.

“Estou tranquilo com essa decisão, mesmo não tendo sido comunicado pela cúpula nacional do partido, entendo que são poucas as pessoas de palavra ou caráter forte. Mas as ações de cada indivíduo revelam quem ele é”, continuou.

Leia também


Participe dos canais da Itatiaia:

Editor de Política. Formado em Comunicação Social pela PUC Minas e em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Já escreveu para os jornais Estado de Minas, O Tempo e Folha de S. Paulo.
Leia mais