Ouvindo...

Times

Vídeo de Zema, Cleitinho e Nikolas sobre vacinação infantil vira processo no STF

Trio publicou vídeo no início da semana defendendo que alunos da rede pública estadual poderiam frequentar aulas sem imunizações

Começou a tramitar no Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação contra o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), o senador Cleitinho (Republicanos-MG) e o deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG). O motivo: o vídeo onde compartilham a ideia de que alunos da rede estadual de ensino podem frequentar escolas mesmo se não tiverem sido vacinados.

Trata-se de uma reclamação apresentada por um grupo de políticas do Psol: a deputada estadual Bella Gonçalves, a deputada federal Célia Xakriabá, e as vereadoras de Belo Horizonte Iza Lourenço e Cida Falabella.

Leia mais:

A ação foi apresentada ao STF na última quarta-feira (7). No dia seguinte, ficou determinado que o ministro Alexandre de Moraes será o relator do caso.

Na reclamação, o grupo pede que o vídeo seja tirado do ar. À Itatiaia, o advogado André Maimoni, um dos representantes do grupo, disse que a ação foi movida para evitar um movimento de “libera geral”, pois o discurso do trio teria “causado uma comoção”.

Leia também

A defesa pede que sejam cumpridas decisões já consolidadas do STF no sentido de que as vacinas do Programa Nacional de Imunização são obrigatórias, principalmente em relação aos públicos mais vulneráveis. “Nós confiamos no processo. O ministro Moraes é muito atento a esse tema.”

Em vídeo compartilhado no último domingo (4), Zema diz: “Aqui em Minas, todo aluno, independente de ter ou não vacinado, terá acesso às escolas.” Nikolas diz que a medida tem como objetivo “garantir a liberdade de todos os alunos de Minas Gerais”. Já Cleitinho diz que é a favor “da ciência e da vacina”, “mas a favor também da liberdade”.

Veja o vídeo aqui:

Na quarta (7), um grupo de deputados e infectologistas apresentou uma denúncia de fato ao Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) contra o governador. A presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT) e o vereador de Belo Horizonte Bruno Pedralva, do mesmo partido, levaram a denúncia ao procurador Carlos André Mariani.

"É de uma gravidade inacreditável. O Brasil baixou a cobertura vacinal com toda essa campanha antivacina, é fundamental que o chefe do Poder Executivo, a liderança maior do estado, seja aquele que promova a campanha de vacinação, que leve a tranquilidade às famílias de que vacinar é seguro, de que vacinar salva vidas. A fala do governador é contra tudo isso. Coloca a dúvida, uma suposta liberdade, que coloca acima dos interesses coletivos. Então, a gente topa que volte o sarampo em nome de uma suposta liberdade? Que as pessoas tenham paralisia, a morte por covid? Nossa expectativa é de que o MP cumpra sua atribuição em relação a essa fala gravíssima”, disse Beatriz Cerqueira.

A reportagem entrou em contato com as equipes de Romeu Zema, Cleitinho Azevedo e Nikolas Ferreira e aguarda posicionamento sobre a ação no Supremo Tribunal Federal. A assessoria do senador disse que ainda não havia sido comunicada sobre o processo.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

É jornalista formado pela Universidade de Brasília (UnB). Cearense criado na capital federal, tem passagens pelo Poder360, Metrópoles e O Globo. Em São Paulo, foi trainee de O Estado de S. Paulo, produtor do Jornal da Record, da TV Record, e repórter da Consultor Jurídico. Está na Itatiaia desde novembro de 2023.
Leia mais