Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Em BH, Barroso diz que críticas de Elon Musk ao STF são ‘assunto encerrado’

Presidente da Suprema Corte apontou ‘deterioração do processo civilizatório’ e defendeu respeito às leis brasileiras

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, disse, neste domingo (14), considerar “assunto encerrado” as críticas do bilionário Elon Musk ao poder Judiciário brasileiro. Em Belo Horizonte para acompanhar a aplicação das provas do Exame Nacional da Magistratura (Enama), Barroso afirmou que a questão é atravessada por questões ligadas aos “processos civilizatório e democrático”.

Dono da rede social “X”, anteriormente chamada de Twitter, Musk chegou a chamar o ministro Alexandre de Moraes, do STF, de “ditador”. O estadunidense ameaçou reativar as contas de perfis que foram bloqueadas em cumprimento a ordens do ministro. Ele cogitou, inclusive, fechar o escritório do “X” em solo brasileiro.

“Esse assunto envolvendo o empresário de uma plataforma digital e a Justiça Brasileira eu considero encerrado. O Brasil tem Constituição, leis e ordens judiciais. Se forem observados, ficará tudo bem. Se não forem observados, terão as consequências previstas na legislação. Portanto, esse passou a ser um não assunto”, afirmou Barroso.

Leia também

Segundo o presidente do STF, todo o mundo tem travado discussões ligadas aos processos civilizatório e democrático. O presidente do STF chamou a questão de “complexa e sofisticada”, apontando o que chamou de “deterioração do processo civilizatório”.

“A questão civilizatória é a preservação da liberdade de expressão e, todavia, o enfrentamento a determinadas distorções graves representadas pelo ódio, pela desinformação deliberada e pelas teorias conspiratórias”, apontou.

Para Barroso, há uma “articulação global extremista” para colocar em xeque a credibilidade das instituições democráticas e instituir uma visão antipluralista de mundo.

“Esses ataques, muitas vezes, se escondem por trás da liberdade da expressão, quando, na verdade, estamos falando de um modelo de negócio que vive do engajamento, e o engajamento, que são os cliques, infelizmente, são mais motivados por ódio, mentira, ataques às instituições do que por um discurso racional e moderado. Portanto, acaba-se estimulando o ódio e o ataque às instituições em nome da liberdade de expressão quando o que estão fazendo é ganhando dinheiro”, completou.

Escalada de tensão

A reboque das críticas a Moraes, Musk chegou a chamar a Justiça brasileira de “farsa”. O bilionário afirmou que “42 casos” ligados à rede social X não foram respondidos e outros “três pedidos de esclarecimento” da plataforma ainda aguardam resposta.

Na sexta sexta-feira (12), o ultraliberal Javier Milei, presidente da Argentina, se encontrou com Musk nos Estados Unidos da América (EUA) e ofereceu ajuda ao empresário.

O bilionário subiu o tom até mesmo contra a indicação de Cristiano Zanin para o Supremo, chamando o ministro de “advogado pessoal” do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).


Participe dos canais da Itatiaia:

Graduado em Jornalismo, é repórter de Política na Itatiaia. Antes, foi repórter especial do Estado de Minas e participante do podcast de Política do Portal Uai. Tem passagem, também, pelo Superesportes.
Jornalista graduada pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2005. Atua como repórter de cidades na Rádio Itatiaia desde 2022
Leia mais