Ouvindo...

Times

CPI do MST ouve nesta terça-feira João Pedro Stédile, líder dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

CPI do MST na Câmara dos Deputados quer ouvir líder do movimento sobre ocupações nos últimos anos

A CPI do MST da Câmara dos Deputados vai ouvir nesta terça-feira (15) o líder do movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Pedro Stédile, em reunião marcada para às 14 horas da tarde.

O requerimento de convocação, protocolado por três deputados, pede para que Stédile forneça detalhes das ocupações feitas pelo MST.

Aliados do Palácio do Planalto buscam formas de blindar o líder do MST durante o depoimento, em uma comissão que foi esvaziada, depois que partidos do chamado centrão, como o Republicanos e Progressistas, que negociam para ingressar ao governo, decidiram trocar os membros do colegiado por deputados considerados neutros, o que pacificou os debates na comissão.

Outra ideia dos aliados é dissociar a imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) do MST. Para isso, João Pedro Stédile deve tecer críticas ao governo e deixar claro que, por ter apoiado Lula nas eleições, tem liberdade para criticá-lo.

Na última reunião do colegiado, que ouviu o ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira (PT), o clima já estava mais morno, sem nenhum embate entre membros do governo e a oposição, que é maioria. A mudança no ambiente da CPI é fruto da manobra do governo para esvaziar o colegiado.

A CPI do MST iniciou os trabalhos em maio deste ano, com prazo de 120 dias para conclusão, podendo ser prorrogado por mais 60 dias. O relator da CPI, deputado Ricardo Salles, do PL de São Paulo, já anunciou que não pretende pedir a prorrogação dos trabalhos da CPI.

Repórter da Itatiaia desde 2018. Foi correspondente no Rio de Janeiro por dois anos, e está em Brasília, na cobertura dos Três Poderes, desde setembro de 2020. É formado em Jornalismo pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso), com pós-graduação em Comunicação Eleitoral e Marketing Político.
Leia mais