Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Governo anuncia medida para facilitar compra da casa própria pela classe média

Aporte no crédito imobiliário visa atender às famílias que não se enquadram no programa Minha Casa Minha Vida mas que também não são atendidas pela atual oferta de crédito

Ver resumo
  • Operação financeira do governo visa aumentar a oferta de crédito imobiliário no país, atendendo famílias de classe média que não são atendidas pelo Minha Casa Minha Vida, mas que também não podem arcar com as atuais taxas praticadas pelos bancos
  • Governo também pretende estimular o setor de construção civil no país, que hoje opera abaixo da capacidade
  • A injeção de crédito para financiamentos na compra da casa própria é estimada em cerca de R$ 300 bilhões, com taxas acessíveis para a classe média e suprindo a queda da captação da poupança.

O governo federal lança nesta segunda-feira (22) um novo investimento no setor de crédito imobiliário no país, com foco nas famílias consideradas de classe média. A ação amplia a oferta de financiamentos para compra da casa própria, beneficiando especialmente as famílias que não se qualificam para o Programa Minha Casa Minha Vida, mas que também não são atendidas pelo financiamento existente hoje no mercado, com taxas consideradas muito caras.

Leia também

A proposta faz parte da Medida Provisória assinada pelo presidente Lula (PT) que cria o que tem sido chamado pelo governo de Programa Acredita, que inclui uma série de medidas para incentivar o crédito no país.

Na avaliação do governo, a oferta de crédito imobiliário atual é muito baixa, o equivalente a 10% do Produto Interno Bruto (PIB). Em países de renda média, essa oferta gira entre 26% a 30% do PIB. Segundo o governo, a falta desse investimento faz com que o setor de construção civil no Brasil opere abaixo das possibilidades.

O aumento na oferta de crédito será possível graças a uma operação financeira que envolve a Empresa Gestora de Ativos (Emgea), que terá o papel de securitizar o mercado imobiliário através da criação do mercado secundário para crédito imobiliário.

Isso permitirá que os bancos abram espaço em seus balanços para liberar novos financiamentos imobiliários. A injeção de crédito para financiamentos na compra da casa própria é estimada em cerca de R$ 300 bilhões, com taxas acessíveis para a classe média e suprindo a queda da captação da poupança.

Além de ajudar as famílias de classe média, a iniciativa também é um estímulo para o setor da construção civil, que poderá voltar a investir na geração de emprego e crescimento econômico.


Participe dos canais da Itatiaia:

Repórter da Rádio Itatiaia em Brasília atuando na cobertura política dos Três Poderes. Mineiro formado pela PUC Minas Gerais, já teve passagens como repórter e apresentador pela Rádio BandNews FM, Jornal Metro e O Tempo. Vencedor do prêmio CDL de Jornalismo em 2021 e Amagis 2022 na categoria rádio.
Leia mais