Ouvindo...

Times

Flávio Dino comemora prisão de Zinho, miliciano mais procurado do Rio

Ministro da Justiça celebrou ação da Polícia Federal que resultou na prisão do criminoso, que se entregou neste domingo (24)

O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Flávio Dino, comemorou, nesta segunda-feira (25), a prisão de Luís Antônio da Silva Braga, conhecido como Zinho. Ele era o miliciano mais procurado do estado do Rio de Janeiro e se entregou à Polícia Federal (PF) no fim da tarde deste domingo (24).

Quem é Zinho, miliciano mais procurado do Rio que se entregou à PF

Em uma publicação na rede social X, Dino disse que o criminoso se apresentou aos policiais federais da Delegacia de Repressão a Drogas e do Grupo de Investigações Sensíveis e Facções Criminosas da Polícia Federal.

“Registro mais um importante resultado do trabalho sério e planejado que está sendo executado no Rio de Janeiro e em outros estados, no combate às facções criminosas. No fim da tarde deste domingo, 24/12, a Polícia Federal, com apoio da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, efetuou a prisão do miliciano mais procurado do estado do Rio de Janeiro”, informou Dino na publicação.

O ministro não citou o nome de Zinho, mas disse que ele estava foragido desde 2018 e que "é considerado o líder da milícia que atua na Zona Oeste da cidade”.

O miliciano se entregou após negociação entre seus advogados, a Polícia Federal e a Secretaria de Segurança Pública do Rio.

O homem tem, ao menos, 12 mandados de prisão em aberto e era procurado pelas forças de segurança desde 2018. Após se entregar, Zinho foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) do Rio, onde passou por exames de corpo de delito e, em seguida, foi encaminhado para o Presídio de Benfica e, depois para Bangu 1, penitenciária de segurança máxima localizada no subúrbio da capital fluminense.

O número 2 de Dino no Ministério da Justiça, Ricardo Cappelli, também comemorou o que chamou de “prisões importantes sem nenhum tiro”.

“As ações recentes da PF no Rio de Janeiro demonstram que estamos no caminho certo. Trabalho de inteligência e integração com a PRF, a Força Nacional e as Forças Armadas fechando o cerco sobre organizações criminosas. Outros resultados virão”, disse em rede social, também sem citar o nome de Zinho.

Quem também se manifestou sobre a prisão foi o governador do Rio, Cláudio Castro (PL).

“Enquanto as famílias celebram o Natal, o trabalho das forças de segurança não para. Prendemos o inimigo número 1 do RJ, o miliciano Luis Antonio da Silva (Zinho), em uma operação conjunta da Secretaria de Estado de Segurança e da Superintendência da Polícia Federal do estado”, publicou.

Editor de política. Foi repórter no jornal O Tempo e no Portal R7 e atuou no Governo de Minas. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem MBA em Jornalismo de Dados pelo IDP.
Leia mais