Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Em retorno da COP28, BDMG tem autorização para captar até R$ 500 milhões do BID para sustentabilidade

Recursos serão liberados para empresas e municípios mediante cumprimento de metas de redução de carbono

BDMG tem autorização para captar até R$ 500 milhões do BID para sustentabilidade

Divulgação / BDMG

O governo federal, por meio da Comissão de Financiamento Externo (Cofiex), autorizou o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) a captar até R$ 500 milhões com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Os recursos serão utilizados para a descarbonização e resiliência climática da carteira de crédito, um programa estruturado pelo BDMG junto ao BID para financiar empresas de todos os portes e municípios interessados em investir em projetos relacionados à sustentabilidade.

O programa “Minas para Resultados: Descarbonização e Resiliência Climática da carteira de crédito” será a primeira experiência do BID no Brasil em que a liberação do crédito dependerá do cumprimento de metas de redução de carbono dos projetos financiados. As liberações dos recursos serão feitas à medida que o BDMG reduzir o financiamento de projetos que emitam carbono em sua carteira.

O aval da União para a operação permitirá ao BDMG captar recursos a um custo muito mais baixo. Assim, o banco mineiro poderá oferecer crédito mais barato e em condições especiais, como o prazo de até 25 anos para pagamento.

Na COP

O BDMG concluiu os desembolsos do contrato de 120 milhões de euros, mais de R$ 600 milhões, captados junto ao Banco Europeu de Investimento (BEI) para financiar projetos relacionados à sustentabilidade. Do total do contrato, 90 milhões de euros foram destinados a 62 projetos relacionados a energia renovável e eficiência energética. “Mostramos que o BDMG é o maior financiador de energia solar do estado. Para além disso, houve reuniões com bancos multilaterais para garantir novas captações ao BDMG. Como exemplo, apos reuniao com o CAF (Banco de Desenvolvimento da America Latina e Caribe) , o conselho da instituição aprovou projeto de 250 milhoes de dolares para o BDMG”, afirmou Antônio Claret, vice-presidente do banco mineiro.

Edilene Lopes é jornalista, repórter e colunista de política da Itatiaia, podcaster no “Abrindo o Jogo” e mestre em ciência política pela UFMG. Graduou-se pelo Uni-BH e diplomou-se em jornalismo digital pelo Centro Tecnológico de Monterrey (México). Na Itatiaia desde 2006, já foi produtora e apresentadora. Em 2016 foi eleita, pelo Troféu Mulher Imprensa, a melhor repórter de rádio do Brasil.
Leia mais