Ouvindo...

Times

Lupion cita falta de compromisso em zerar o déficit das contas públicas

Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), divergem sobre a situação das contas públicas para 2024

As divergências entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ministro Fernando Haddad (PT) em torno da meta de zerar o déficit das contas públicas para 2024 segue repercutindo na Câmara dos Deputados. O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Pedro Lupion (PP-PR), e o deputado Domingo Sávio (PL-MG), alfinetaram a declaração feita por Lula na última sexta-feira (27), quando o presidente afirmou que a meta fiscal estipulada pelo arcabouço e pelo ministro Haddad ‘dificilmente’ seria cumprida.

Em seminário sobre a reforma administrativa na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (1º), Lupion criticou a falta de compromisso do governo em ‘segurar a gastança’. “Minha preocupação é quando abro os jornais e vejo que a gente já está em R$ 93 bilhões de déficit das contas públicas”, começou. “Vejo que não há compromisso em melhorar e oxigenar as contas públicas, que não há compromisso em cumprir as responsabilidades firmadas com as importantes medidas aprovadas pela Câmara e pelo Senado para sanear as contas públicas”, acrescentou. “Não valeu de absolutamente nada porque o dinheiro já foi gasto e mal gasto. Esse é, infelizmente, o cenário no Brasil hoje”, concluiu.

O deputado mineiro Domingos Sávio também não poupou críticas à declaração de Lula. “O arcabouço fiscal estabelece déficit zero para o país em 2024. E aparece o presidente da República: ‘olha, esqueçam!’. Se não vai diminuir os gastos, onde nós vamos parar? E nós sabemos onde, no bolso do contribuinte”, afirmou.

Mal-estar. A declaração de Lula está na contramão da avaliação do ministro Fernando Haddad que, desde a aprovação do arcabouço fiscal, defende a viabilidade de zerar o déficit das contas públicas em 2024. Após a fala do presidente na sexta-feira, o ministro da Fazenda evitou dizer se, de fato, não conseguirá cumprir a meta estabelecida.

Déficit das contas públicas. Em balanço do mês passado, o Ministério da Fazenda informou que o déficit primário no segundo quadrimestre do ano foi R$ 101 bilhões, cerca de R$ 38,5 bilhões a menos que o esperado para o período. O valor consta no Relatório de Avaliação do Cumprimento de Metas Fiscais, da Secretaria do Tesouro Nacional. No acumulado de janeiro a setembro, o valor corresponde a R$ 92,6 bilhões.

Repórter de política em Brasília. Na Itatiaia desde 2021, foi chefe de reportagem do portal e produziu série especial sobre alimentação escolar financiada pela Jeduca. Antes, repórter de Cidades em O Tempo. Formada em jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais.
Leia mais