Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Conselho Tutelar: ‘Prefeituras não estão preparadas para fazer esse tipo de eleição’, diz Fuad

Prefeito de BH afirma que todos os preparativos foram feitos para segunda votação para conselheiros tutelares, mas pede revisão nos métodos usados

Nova votação para o Conselho Tutelar de Belo Horizonte acontece neste domingo (3)

Nova votação para o Conselho Tutelar de Belo Horizonte acontece neste domingo

PBH/Divulgação

O prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman (PSD), afirmou nesta terça-feira (28), em entrevista exclusiva à Itatiaia, que a prefeitura está se mobilizando para garantir o sucesso da eleição para conselheiros tutelares marcada para o próximo domingo (3). No entanto, ele cobrou uma mudança no método para as próximas disputas.

“O Tribunal Regional Eleitoral faz eleições para municípios com 5, 10 e 15 mil eleitores, se preparam um ano, tem uma equipe preparada, com equipes e computadores. As prefeituras não estão preparadas para fazer esse tipo de eleição. Nós estamos falando que podemos ter 60, 70 ou 80 mil eleitores em um dia, 328 zonas, ou seja, é um sacrifício muito grande da prefeitura financiar esses recursos e mobilizar pessoal. Estamos fazendo o melhor possível. Da vez passada tivemos problema no sistema, que caiu. Dessa vez estamos fazendo back ups para tudo, para evitar o problema, e nossa expectativa é que não tenhamos nenhum tipo de problema. Mas é preciso rever esse método, não dá para entregar na mão de uma prefeitura uma eleição, que não é sua expertise. Vamos ter que discutir isso e vou levar esse assunto para a Frente Nacional de Prefeitos e discutir isso com o governo federal”, afirmou o prefeito.

No início de outubro, a primeira votação para o Conselho Tutelar em BH foi matracada por muitas confusões e a PBH decidiu anular o pleito, citando “inconsistências no sistema”.

De acordo com o Executivo municipal houve uma diferença de quatro mil votos entre os eleitores que foram cadastrados no sistema e o total de votos contabilizados. Uma nova eleição foi marcada para o dia 3 de dezembro. A nova eleição será feita por meio de cédulas de papel.

“Fizemos o máximo, estamos fazendo o máximo, com mais de 2 mil servidores da prefeitura treinados, equipamentos colocados, todos com back up, funcionários da Prodabel em cada sessão, gerador reserva comprado para não ter problema de energia, sistema de registro absolutamente preparado. Vamos torcer para que tudo dê certo, mas com um certo incômodo de transferir essa responsabilidade para a prefeitura”, afirmou o prefeito.

Editor de Política. Formado em Comunicação Social pela PUC Minas e em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Já escreveu para os jornais Estado de Minas, O Tempo e Folha de S. Paulo.
Leia mais