Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Líder da oposição sobre Dino no STF: ‘lenha na fogueira’

O líder da oposição no Senado, Rogério Marinho (PL-RN), subiu o tom contra a indicação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, para o cargo de ministro do STF

O líder da oposição no Senado, Rogério Marinho (PL-RN), subiu o tom contra a indicação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, para o cargo de ministro do STF

O líder da oposição no Senado, Rogério Marinho

Roque de Sá/Agência Senado

O líder da oposição no Senado, Rogério Marinho (PL-RN), afirmou nesta segunda-feira (27) que a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de indicar o ministro Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal (STF) é um “ato de jogar lenha na fogueira”. Marinho subiu o tom contra a indicação do ministro da Justiça e Segurança Pública para o STF. “A indicação de Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal é um ato de jogar lenha na fogueira. Embora a indicação de um ministro à Suprema Corte seja uma prerrogativa do presidente da República, o nome indicado não representa a imparcialidade necessária para uma instituição que deve ser o bastião da Justiça e Constituição”, disparou Marinho.

O líder da oposição disse que a decisão do presidente Lula de indicar Dino ao STF desrespeita a essência da imparcialidade judicial. “Ao escolher um nome tão intrinsecamente ligado a um espectro político ideológico, o governo não apenas desrespeita a essência da imparcialidade judicial, mas também sinaliza um desprezo preocupante pela estabilidade e harmonia nacional. A indicação de Flávio Dino é um espelho do acirramento e da divisão promovida pelo PT no país, uma decisão que politiza e diminui o STF”, criticou Marinho.

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) fez coro contra a indicação de Dino ao STF, e disse que o Senado tem “a obrigação moral de rejeitar o nome do perseguidor de políticos, Dino, para o STF”. Flávio Bolsonaro disse que Lula e Dino ameaçam a democracia. “ A Suprema Corte precisa de gente qualificada e técnica, não de um político profissional que vai usar todos os seus poderes para proteger os esquemas do PT e os amigos, além de fazer avançar as pautas da esquerda como aborto e legalização de drogas. Essa dupla, Lula e Dino, são as verdadeiras ameaças à nossa democracia”, opinou o senador. “O STF não pode ser um órgão político, a Corte dos amigos. Isso é inadmissível numa democracia. Lula indicar um AMIGO extremamente íntimo é um atrevimento gigantesco com o Congresso Nacional e com o Brasil”, concluiu Flávio Bolsonaro.

Outras lideranças de oposição ao governo iniciaram um movimento para impedir que Flávio Dino assuma o cargo de ministro do STF. As indicações de Dino ao STF, e do subprocurador-geral da República Paulo Gonet, foram publicadas nesta segunda-feira (27) em edição extra do Diário Oficial da União. Tanto Gonet quanto Dino deverão passar por sabatina e análise do Senado Federal. O presidente da Casa, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), anunciou que as sabatinas e análises no plenário irão ocorrer entre os dias 12 e 15 de dezembro.

Repórter da Itatiaia desde 2018. Foi correspondente no Rio de Janeiro por dois anos, e está em Brasília, na cobertura dos Três Poderes, desde setembro de 2020. É formado em Jornalismo pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso), com pós-graduação em Comunicação Eleitoral e Marketing Político.
Leia mais