Ouvindo...

Times

Rachadinha: STF autoriza abertura de inquerito para investigar André Janones

Decisão é do ministro Luiz Fux, que atende pedido feito pela PGR; deputado é suspeito de cobrar parte do salário de funcionários para pagar dívidas de campanha

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, deu o sinal verde nesta segunda-feira (04) para que a Procuradoria-geral da República (PGR) investigue o deputado federal André Janones (Avante-MG) por suposta prática de rachandinha em seu gabinete.

O pedido havia sido formalizado na última sexta-feira (01) pela vice-procuradora-geral da República, Ana Borges Coêlho, que defende que a abertura de inquérito é necessária para esclarecer se o deputado “associou-se, de forma estável e permanente, a assessores e ex-assessores por ele indicados para ocupar cargos em comissão em seu gabinete, para o fim específico de cometer crimes contra a administração pública, consistentes em sistemáticos repasses ao agente político de parte dos recursos públicos destinados ao pagamento das remunerações desses servidores públicos”.

Luiz Fux também autorizou que a PGR realize oitivas do deputado federal André Janones e de seus assessores e ex-assessores, incluindo o ex-secretário parlamentar Cefas Luiz Paulino, que denunciou o suposto esquema.

Além das oitivas, o STF também autorizou a PGR a acessar emails, cartões de ponto e registros da Câmara dos Deputados que comprovem o vínculo dos assessores com o gabinete de Janones. A investigação será conduzida pela Polícia Federal.

O áudio que revelou o esquema foi divulgado pelo Portal Metrópoles e teria sido captado em 2019. Na gravação há menção a um assessor de Janones que, embora recebesse R$ 10 mil mensais, deveria repassar parte do salário ao deputado. Em 2016, o parlamentar disputou a prefeitura de Ituiutaba (MG). Ele ficou em segundo lugar, com 13.759 votos - 24% dos votos.

“Tem algumas pessoas aqui, que ainda vou conversar em particular depois, que vão receber um pouco de salário a mais e vão me ajudar a pagar as contas do que ficou na minha campanha de prefeito, que eu perdi R$ 675 mil na campanha. Elas vão ganhar mais para isso. ‘Ah, isso é devolver salário e você está chamando de outro nome’. Não, não é. Porque devolver salário você manda na minha conta e eu faço o que eu quiser. São simplesmente algumas pessoas que eu confio e que participaram comigo em 2016, que eu acho que elas entendem que meu patrimônio foi todo dilapidado”, afirma Janones na gravação.

Repórter da Rádio Itatiaia em Brasília atuando na cobertura política dos Três Poderes. Mineiro formado pela PUC Minas Gerais, já teve passagens como repórter e apresentador pela Rádio BandNews FM, Jornal Metro e O Tempo. Vencedor do prêmio CDL de Jornalismo em 2021 e Amagis 2022 na categoria rádio.
Leia mais