Ouça a rádio

Compartilhe

Acordo entre Lula e Kassab aproxima aliança do PT com Kalil e chapa pode mudar

Reginaldo Lopes (PT), que vinha construindo pré-candidatura ao Senado, ficará como coordenador em Minas e deve decidir a indicação para vice-governador

Um acordo firmado entre o ex-presidente Lula (PT) e o ex-ministro Gilberto Kassab (PSD), neste final de semana, deve encaminhar uma nova configuração para a chapa do ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD), candidato ao governo de Minas. A coluna apurou que Lula e Kassab teriam acertado que o senador Alexandre Silveira (PSD), presidente do partido em Minas, será o candidato a senador do grupo. Já o deputado federal Reginaldo Lopes (PT), que vinha construindo pré-candidatura ao Senado, ficará como coordenador da aliança Lula-Kalil em Minas e deve decidir a indicação para o posto de vice-governador: interlocutores tentam convencê-lo a ser o nome, mas Lopes tem resistido à ideia. Fontes próximas ao petista sinalizaram na noite desta segunda-feira (16) que o deputado estadual André Quintão (PT) seria um dos cotados para o cargo.

Antes colocado como nome favorito para a vice, o presidente da Assembleia mineira, Agostinho Patrus (PSD), pode ceder o posto para a confirmação do acordo. Não à toa, dizem interlocutores, Patrus vem segurando desde o final de 2021 a realização de eleição para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O presidente do Legislativo mineiro nega que tenha interesse na cadeira, mas pode ser um dos caminhos - o cargo no TCE é visto com prestígio pelas decisões que envolvem prefeituras e o próprio governo estadual.

Leia Mais

EM SÃO PAULO

Candidato bolsonarista invade evento do PT em São Paulo

INVESTIGAÇÃO

Manobras contábeis de empresas de ônibus podem esconder 'caixa 2' para Kalil, diz MP de Contas

POLÍTICA

PF instaura inquérito para apurar ligação de Kalil com empresários do setor de transporte público

Governo de Minas

Kalil se reúne com bancadas petistas pra discutir nome do vice

Aliança Lula/Kalil

Agostinho colocou cargo de vice à disposição do PSD para possibilitar aliança Lula/ Kalil em Minas

Acesso rápido