Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Entre a Margem Equatorial e a transição energética, o desafio de Lula na COP28

Presidente brasileiro desembarca nesta quinta (30) em Dubai

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) desembarca, na tarde desta quinta-feira (30), em Dubai, para a COP28, com o desafio de fazer do Brasil o protagonista da transição energética mundial. A delegação brasileira vai apresentar o percentual de redução do desmatamento na Amazônia, que está na casa dos 22%; o ambicioso plano de produção de energia limpa que, conta com as modalidades hidrelétrica, eólica e solar; e a ampliação da produção de combustível verde, o etanol, uma alternativa à exploração de Petróleo, combustível fóssil de alta emissão de carbono, o principal causador do efeito estufa e do aquecimento global.

É justamente nesse ponto que esbarra o plano verde brasileiro. Ao mesmo tempo que tem tudo para ser exemplo na produção de energia verde, o Brasil tem um outro recurso, altamente rentável, que vai na contramão dos objetivos globais, o petróleo. Além das jazidas já mapeadas e exploradas, o país conta com a possibilidade de exploração na região da Margem Equatorial, no Rio Grande do Norte.

Apesar de apostar também no combustível fóssil, que ainda é um grande motor da economia mundial e deve ser por muitos anos, não se sabe o quanto o presidente Lula vai falar sobre isso aqui em Dubai, já que trata-se de uma matriz altamente poluente. Aliás, o Brasil, está entre os dez maiores produtores de petróleo do mundo, ocupando a nona posição. Os Estados Unidos são o primeiro, a Arábia saudita ocupa a segunda posição e os Emirados Árabes (composto por sete pequenos países, dentre eles Dubai) estão na sétima colocação.

Edilene Lopes é jornalista, repórter e colunista de política da Itatiaia e podcaster no “Abrindo o Jogo”. Mestre em ciência política pela UFMG e também diplomada em jornalismo digital pelo Centro Tecnológico de Monterrey (México). Na Itatiaia desde 2006, já foi apresentadora e registra no currículo grandes coberturas nacionais, internacionais e exclusivas com autoridades, incluindo vários presidentes da República. Premiada, em 2016 foi eleita, pelo Troféu Mulher Imprensa, a melhor repórter de rádio do Brasil.
Leia mais