Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Ministério da Justiça conclui que não houve corrupção em fuga de presos em Mossoró

A Corregedoria-Geral da Secretaria Nacional de Políticas Penais, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, concluiu nesta terça-feira (2) o relatório sobre a responsabilidade de servidores da Penitenciária Federal de Mossoró na fuga de dois detentos, em fevereiro deste ano

A Corregedoria-Geral da Secretaria Nacional de Políticas Penais, do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), concluiu nesta terça-feira (2) que não há indícios de corrupção na fuga de dois detentos, em fevereiro deste ano, da Penitenciária Federal de Mossoró (RN).

No relatório, a corregedora-geral, Marlene Rosa, apontou que há indicativo de falhas nos procedimentos carcerários de segurança.

A Corregedoria-Geral decidiu abrir três Processos Administrativos Disciplinares (PADs) contra 10 servidores da penitenciária. Ainda pela decisão, outros 17 servidores assinarão Termos de Ajustamento de Conduta (TAC), no qual se comprometem com uma série de medidas, incluindo o de não cometer as mesmas infrações. Os servidores terão de passar por cursos de reciclagem.

Leia também

A corregedora também determinou a abertura de uma nova Investigação Preliminar Sumária para continuar as apurações referentes às causas da fuga, com foco nos problemas estruturais da unidade federal. O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que a íntegra do relatório não será divulgada para não prejudicar a nova investigação e os procedimentos correcionais que estão sendo instaurados.

As operações de buscas foram iniciadas em 14 de fevereiro. Até o momento, não há informações do paradeiro de Deibson Nascimento e Rogério Mendonça, que protagonizaram a primeira fuga da história de presídios federais.

Participe dos canais da Itatiaia:

Repórter da Itatiaia desde 2018. Foi correspondente no Rio de Janeiro por dois anos, e está em Brasília, na cobertura dos Três Poderes, desde setembro de 2020. É formado em Jornalismo pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso), com pós-graduação em Comunicação Eleitoral e Marketing Político.
Leia mais