Ouvindo...

Times

Reunião do Conselho de Segurança da ONU pode ser decisiva para retirada de brasileiros da Faixa de Gaza

Encontro está marcado para esta sexta-feira (13) e foi convocado pelo Brasil, que preside o órgão temporariamente

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) se reúne nesta sexta-feira (13), a partir das 11 horas (horário de Brasília) para discutir o cenário atual da guerra envolvendo o Estado de Israel e o grupo terrorista palestino Hamas. E entidade é presidida, neste mês de outubro, pelo Brasil - que convocou a reunião.

O governo brasileiro será representado pelo ministro de Relações Exteriores, Mauro Vieira, que cumpria uma série de compromissos oficiais na Ásia e cancelou reuniões para ir até a sede da ONU, em Nova York.

Saiba mais: O que o Brasil precisa fazer para haver consenso sobre o conflito em Israel e Palestina no Conselho de Segurança da ONU?

O encontro é aguardado para que algumas definições sejam tomadas, principalmente a questões relacionadas a no que diz respeito à retirada de pessoas na Faixa de Gaza. Até o momento, 22 brasileiros pediram ao governo para deixar o local e 13 delas estão abrigadas em uma escola católica na região.

O Ministério das Relações Exteriores negocia, junto ao governo do Egito, o estabelecimento de um corredor humanitário pela passagem de Rafah para que os brasileiros possam deixar a Faixa de Gaza, de ônibus, até a cidade do Cairo onde embarcariam em um avião da presidência rumo ao Brasil.

Nesta quinta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu, por videoconferência com o presidente de Israel, Isaac Herzog. Em uma rede social, Lula disse ter agradecido o líder israelense pelo apoio na retirada dos brasileiros - até o momento, três aeronaves já resgataram cidadãos que quiseram deixar Israel com destino ao Brasil - e manifestou a “condenação brasileira aos ataques terroristas”.

“Solicitei ao Presidente todas as iniciativas possíveis para que não falte água, luz e remédios em hospitais”, disse Lula. Moradores de Gaza sofrem desde esta quinta-feira (12) com a falta de fornecimento de energia elétrica e de abastecimento de água, que foram cortados pelo governo de Israel.

Outro ponto abordado pelo brasileiro foi a garantia de um corredor humanitário entre a Faixa de Gaza e o Egito.

Editor de política. Foi repórter no jornal O Tempo e no Portal R7 e atuou no Governo de Minas. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem MBA em Jornalismo de Dados pelo IDP.
Leia mais