Ouvindo...

Times

Conteúdo Patrocinado

A economia mineira e suas principais indústrias

Entenda o papel que Minas Gerais desempenha na economia nacional, com foco em suas indústrias e cidades mais dinâmicas

oferecimento

A economia de Minas Gerais, um dos estados mais ricos e diversos do Brasil, é impulsionada por uma variedade de indústrias que vão da mineração à tecnologia. Graças às suas riquezas naturais, Minas consegue produzir bens que chegam à mesa ao consumidor final, mas também atendem grandes indústrias.

Conheça as principais indústrias que moldam a economia mineira e os produtos que impulsionam o crescimento econômico do estado.

Panorama da economia mineira

  • PIB nacional: dados do IBGE mostram que MG tem o terceiro maior PIB do Brasil, atrás de São Paulo e Rio de Janeiro.
  • Exportação: em termos de vendas para fora do país, os principais setores industriais exportadores são minérios de ferro, café e soja. Os mercados para os quais MG mais faz exportações são China (35%) e Estados Unidos (10%).
  • Setores: dados da Fundação João Pinheiro mostram que, percentualmente, os setores que mais cresceram foram agropecuária, indústria e serviços. Juntamente com tecnologia, esses são alguns dos segmentos que mais ajudam a colocar Minas no mapa da economia brasileira.

Agronegócio

Em Minas, as exportações do agronegócio no estado só perdem para o setor minerário. Porém, isso não significa que os números sejam irrelevantes: as exportações realizadas em 2023 chegaram a 15,6 milhões de toneladas, puxadas principalmente pelo café.

Inclusive, Minas é o maior produtor de café arábica do mundo. Para manter esse pódio, investimentos em certificações técnicas ajudam a formalizar e qualificar os produtores mineiros. O resultado é maior qualidade dos produtos, e melhoria nos índices econômicos – inclusive pela geração de empregos.

Os investimentos em novas tecnologias e processos para otimizar a produção agrícola rendem frutos: o agronegócio respondeu por 22% do PIB de Minas em 2022. Em 2023, esse total cresceu e alcançou R$ 228 bilhões.

Indústria automotiva

A indústria ocupa um grande lugar na economia de Minas. Especificamente no segmento automotivo, números e marcos não deixam dúvida sobre o papel desse setor no desenvolvimento do estado.

Dados divulgados pela Investminas (agência de promoção de investimento do governo do estado) mostram o valor da indústria automotiva em Minas Gerais: Minas Gerais é o segundo maior fabricante de veículos do país, sendo responsável por 13% da produção nacional em 2020. Além disso, é o maior mercado de veículos do Brasil, com mais de 520 mil veículos licenciados em 2022.

Em 2020, de acordo com dados da FIEMG, a indústria automotiva foi responsável por 8,6% do PIB do estado. No mesmo período, o setor movimentou mais de US$ 700 milhões em exportações.

Leia também

Mineração

A história de Minas Gerais com a mineração é antiga e faz parte da fundação do estado. Foi graças aos abundantes recursos naturais do estado (principalmente no subsolo) que a economia mineira deu seus primeiros passos – com a mineração e agricultura.

O potencial da mineração

O estado tem recebido atenção não apenas pela participação atual na extração de minerais e subsequente produção, mas também pelo potencial ainda não explorado: documentos elaborados pelo governo mineiro mostram o potencial na extração de substâncias como lítio, silício, grafite, manganês e as das chamadas terras raras.

Esses recursos são utilizados para a fabricação de placas de geração de energia solar, turbinas eólicas, baterias de celulares e carros elétricos, além de cabos, fios e outros componentes eletrônicos.

Falando em minerais, é impossível não pontuar a importância do nióbio. Mundialmente, o Brasil é o maior produtor e detentor de reservas de nióbio. Em 2022, a produção brasileira desse mineral gerou mais de R$ 137 milhões para o país.

E é em Araxá, no interior de Minas, que se encontra uma das maiores reservas de nióbio do mundo. O metal é muito utilizado na indústria de alta tecnologia – incluindo automobilística, usinas de energia, baterias de carros elétricos, entre outros.

Tecnologia

Um investimento recorde reflete em números o valor que o setor de tecnologia traz para Minas: em 2023, o governo do estado investiu mais de R$ 470 milhões em ciência, tecnologia e inovação (CT&I).

Além das iniciativas mais conhecidas na capital mineira, como do San Pedro Valley e dos centros de tecnologia e empreendedorismo (como BH-TEC e Órbi Conecta), a tecnologia também tem muita relevância no interior de Minas.

Santa Rita do Sapucaí, conhecida como o Vale da Eletrônica, abriga o Parque Tecnológico de Santa Rita do Sapucaí, um polo de desenvolvimento e pesquisa em tecnologia da informação e comunicação.

Desde 2016, o evento HackTown acontece em Santa Rita do Sapucaí. Na última edição do evento, em 2023, mais de 30 mil pessoas compareceram e participaram das discussões sobre o impacto da tecnologia e inovações nos negócios brasileiros.

O peso da economia mineira: PIB histórico

O ano de 2023 foi encerrado com a notícia do maior Produto Interno Bruto (PIB) da história do estado: R$ 1.028 trilhão. Por conta desse marco, a economia do estado também aumentou sua participação no PIB do país como um todo, atingindo 9,6% no ano passado.


Participe dos canais da Itatiaia:

A Rádio de Minas. Tudo sobre o futebol mineiro, política, economia e informações de todo o Estado. A Itatiaia dá notícia de tudo.
Leia mais