Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Qual a velocidade máxima do Porsche que bateu a 250 km/h em BH? Conheça o modelo

Porsche 911 Carrera envolvido no acidente pode ir de 0 a 100 em 4,2 segundos e precisa de mais de 33 metros para frear completamente, trafegando a uma velocidade de 100 km/h

Acidente com Porsche na av. Barão Homem de Melo

Acidente com Porsche na av. Barão Homem de Melo

João Eduardo Santana/ Itatiaia

O acidente envolvendo um carro da marca Porsche na madrugada desta segunda (11), na avenida Barão Homem de Melo, em Belo Horizonte, chamou a atenção por conta da velocidade do carro no momento da batida. Mas apesar do veículo ter batido a mais de 250 km/h, o modelo pode alcançar uma velocidade até 17% maior do que a registrada no acidente.

O veículo do acidente é um Porsche 911 Carrera, modelo 2017. O modelo tem uma velocidade máxima de 292 km/h e vai de 0 a 100 em impressionantes 4,2 segundos. Esses são dados oficiais, divulgados pela própria montadora na época do lançamento do carro.

Tempo de frenagem do Porsche 911 Carrera

Uma avaliação feita pelo Uol em 2017 mostrou que o Porsche 911 Carrera trafegando a 100 km/h precisava de mais de 33 metros para parar completamente. No caso de um veículo a 250 km/h, como o do acidente em Belo Horizonte, seria necessário percorrer mais de 80 metros para parar o carro completamente.

Entenda

O acidente ocorreu por volta 1h50 da madrugada. O carro, avaliado em R$800 mil, capotou por diversas vezes e bateu em uma árvore na altura do número 3000. O veículo era pilotado pelo empresário e DJ Rodrigo Rodrigues Andrade Chiatti, de 32 anos. Dentro do carro, também estava Cayke Pelegrino Tavares, de 32 anos.

Durante os trabalhos da perícia, foi constatado que o velocímetro do veículo parou na marca dos 250 km/h. As peças do carro ficaram espalhadas nos dois lados da avenida.

Uma garrafa de whisky foi encontrada do lado de fora do carro, mas a polícia não confirma se ela estava ou não dentro do veículo.

Sintomas de embriaguez

O Boletim de Ocorrência (BO) descreve que o motorista apresentava sintomas de embriaguez, como fala desconexa, andar cambaleante, hálito etílico e olhos avermelhados. A suspeita é de que os dois estavam voltando de uma festa.

Conforme o BO, o motorista, também de 32 anos, se recusou a fazer o teste do bafômetro e estava com a CNH cassada. Ele sofreu escoriações no braço. Aos policiais, ele não conseguiu explicar o que ocorreu, mas disse que era perseguido por algumas pessoas. O documento não detalha como seria ocorrido essa suposta perseguição.

Confira também:

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais