Ouvindo...

Times

Norte de Minas: projeto Hidroagrícola de Jequitaí é leiloado por 35 mi

Demanda histórica da região, projeto foi arrematado por proposta única; certame foi realizado na tarde desta sexta (1º)

O projeto Hidroagrícola de Jequitaí (MG) foi arrematado na tarde desta sexta-feira (1º) na sede da B3, em São Paulo (SP). O consórcio Jequitaí foi o único a submeter proposta e venceu com o lance de R$ 35 milhões pela outorga. O valor era o mínimo para a participação no certame.

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, destacou que a região do Norte de Minas é historicamente conhecida como “celeiro de produção de energia limpa e renovável” e que a conclusão do leilão é uma “virada de página definitiva” para o semiárido de Minas Gerais.

“Esse projeto reúne importantes vocações naturais abundantes no Brasil: água, terra e sol, promovendo melhores condições de vida para a população que vive naquela região. É a realização de um sonho para o povo de Minas Gerais, uma terra que tem vocação para produzir alimento e energia”, disse.

Durante sua fala no evento, Silveira ainda agradeceu o empenho dos presidentes do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, da Codevasf, Marcelo Moreira e do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), Carlos Alexandre Gonçalves e ressaltou que o projeto vai contribuir com o desenvolvimento econômico e sustentável da região.

“As barragens vão permitir o desenvolvimento da agricultura irrigada em aproximadamente 35 mil hectares no Norte de Minas. O projeto também vai regularizar a vazão do Rio e as reservas de água dos municípios da região, além de serem capazes de produzir cerca de 20 megawatts de energia limpa e renovável, o suficiente para abastecer 200 mil pessoas”, afirmou Silveira.

Leia também

Segundo a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Paranaíba, (Codesvasf), 147 mil pessoas serão beneficiadas nos municípios de Jequitaí, Francisco Dumont e Claro das Porções. Demanda histórica do Norte de Minas, o sistema de irrigação de áreas agrícolas e a regularização da vazão do Rio São Francisco é aguardada há quase 50 anos.

“O Projeto Jequitaí promoverá segurança hídrica para até 19 municípios mineiros e impulsionará o desenvolvimento econômico do norte de Minas Gerais com investimentos e com a criação de 100 mil empregos diretos e indiretos”, explicou Marcelo Moreira, diretor-presidente da Codevasf.

O Consórcio Jequitaí terá que pagar uma outorga de R$ 35 milhões durante os 35 anos de contrato além do pagamento de R$ 1,96 milhão na assinatura do documento. A infraestrutura da primeira barragem deverá ser concluída em até 60 meses.

O projeto

O projeto é realizado em conjunto pelo Idene e pela Codevasf para a construção de duas barragens de usos múltiplos no Rio Jequitaí, no Norte de Minas Gerais.

Uma das metas do projeto é armazenar um volume estimado em mais de 500 milhões de metros cúbicos de água. A outra, por sua vez, prevê a distribuição de água para canais de irrigação e a regularização da vazão do rio, o que permitirá o controle de cheias e a prevenção de inundações em áreas propícias para a agricultura.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Repórter de Política Nacional e Internacional na rádio Itatiaia. Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e pós-graduanda em Comunicação Governamental na PUC Minas. Sólida experiência no Legislativo e Executivo mineiro. Premiada na 7ª Olimpíada Nacional de História do Brasil da Universidade de Campinas.
Leia mais