Ouvindo...

Times

‘Não existe crime insolúvel, existe crime mal investigado’, diz Dino sobre Caso Marielle

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, afirmou que os avanços recentes na investigação devem resultar na conclusão do inquérito. A ex-vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) e o motorista parlamentar Anderson Gomes foram mortos a tiros, em março de 2018, na região central do Rio de Janeiro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, afirmou nesta quarta-feira (31) que houve avanços significativos na investigação das mortes da ex-vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) e do motorista parlamentar Anderson Gomes. O ministro Flávio Dino, que encerra sua gestão à frente do ministério nesta quarta-feira, evitou dar detalhes da investigação, mas garantiu que os últimos avanços irão permitir a conclusão do inquérito.

Em coletiva de imprensa, no Palácio do Planalto, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro Flávio Dino revelou que se reuniu, pelo menos, cinco vezes com o chefe do Ministério Público do Rio de Janeiro para tratar da integração do inquérito, que conta com equipes da Polícia Federal, da Polícia Civil do Rio de Janeiro e do Ministério Público do Rio de Janeiro. Houve avanços já divulgados. A única coisa que eu posso afirmar, não por conhecimento, mas por experiência, é que esses últimos passos resultaram na conclusão da investigação. Os termos dependem dos delegados que cuidam do inquérito, do Ministério Público. Não existe crime insolúvel, existe crime mal investigado”, enfatizou Dino.

Atualmente, três pessoas estão presas acusadas de participação no crime. O ex-policial militar do Rio de Janeiro Ronnie Lessa, o também ex-PM Élcio de Queiroz, que já firmou uma delação premiada, além do ex-bombeiro Maxwell Simões Corrêa, conhecido como Suel.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Repórter da Itatiaia desde 2018. Foi correspondente no Rio de Janeiro por dois anos, e está em Brasília, na cobertura dos Três Poderes, desde setembro de 2020. É formado em Jornalismo pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso), com pós-graduação em Comunicação Eleitoral e Marketing Político.
Leia mais