Ouvindo...

Times

Reuniões nesta terça podem ditar rumos da relação entre Zema e ALMG após impasses

Depois de semanas de desgastes e acusações de parte a parte, Colégio de Líderes do Legislativo e vice Mateus Simões trabalham para tentar serenar ânimos

Três reuniões marcadas para esta terça-feira (4) podem ditar os rumos dos trabalhos na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) após uma semana de impasse entre os deputados estaduais aliados ao governador Romeu Zema (Novo) e a oposição. A ausência de acordo entre as partes impediu, inclusive, a votação do projeto de lei (PL) sobre o reajuste de 12,84% aos profissionais da educação estadual.

Na sede da Assembleia, o presidente Tadeu Martins Leite (MDB) vai receber os líderes da Casa para tratar da pauta de votações em plenário, como é praxe semanal.

O prédio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), por sua vez, abriga, neste momento, duas reuniões do vice-governador Mateus Simões, do Novo, com parlamentares governistas.

O impasse que travou a votação do aumento aos professores ocorreu após a oposição obstruir o projeto sobre a adesão de Minas Gerais ao Programa de Acompanhamento e Transparência Fiscal (PAF). O estado estipulou o último dia 30 como data-limite para ingressar no Programa e teme que a ausência de acordo no Legislativo faça o poder público ter de pagar R$ 15 bilhões à União.

Apesar do pleito dos governistas pela aprovação da adesão ao PAF, a oposição diz que houve pouco tempo para discutir o texto – que chegou em maio à Assembleia.

A coalizão antagônica a Zema, formada por PT, PCdoB, PV, Rede e Psol trata o PAF como uma espécie de “prévia” ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), visto pela equipe econômica de Zema como saída para renegociar débito de R$ 160 bilhões junto à União.

O imbróglio gerou acusações nos microfones. Zema chegou a chamar o cordão oposicionista de “irresponsável” por causa dos protestos contra o PAF.

O bloco de esquerda, por outro lado, afirma que o reajuste dos docentes só não foi analisado porque parlamentares governistas esvaziaram a sessão plenária.

Blocos parlamentares convocados

No BDMG, Mateus Simões vai fazer duas reuniões distintas, com os dois blocos de apoio ao governo na Assembleia – o “Minas em Frente” e o “Avança Minas”.

Ainda líder do governo na Assembleia, Gustavo Valadares (PMN) vai ser nomeado secretário de Governo ainda nesta semana. Por ora, Simões comanda o núcleo de articulação política do governo, ainda que interinamente.

As agendas no BDMG devem servir, justamente, para alinhar o discurso entre o Palácio Tiradentes e seus apoiadores na Assembleia.

Dos 77 deputados estaduais com mandato, mais de 50 costumam caminhar ao lado do governo em votações importantes. Até a semana passada, a interlocução entre os Poderes vinha sendo tocada por Igor Eto (Novo), que deixou a Secretaria de Governo.

Graduado em Jornalismo, é repórter de Política na Itatiaia. Antes, foi repórter especial do Estado de Minas e participante do podcast de Política do Portal Uai. Tem passagem, também, pelo Superesportes.
Leia mais