Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Nikolas aciona PF sobre indícios de uso de plataformas digitais para incentivar ataques em escolas

Deputado federal enviou ofício com mensagens trocadas em redes como o Discord; ataque em Blumenau matou 4 crianças

O deputado federal Nikolas Ferreira (PL) acionou a Polícia Federal para denunciar informações sobre a formação de uma rede em plataformas digitais, como o Discord, que incentivam ações de assassinato coletivo em escolas.

Na manhã desta quarta-feira (5), um homem invadiu uma creche em Blumenau, Santa Catarina, e atacou crianças com golpes de machadinha. Quatro morreram e outras quatro ficaram feridas.

No ofício endereçado ao diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, Nikolas e outros dois deputados, Filipe Barros (PL-PR) e André Fernandes (PL-CE), anexaram documentos que mostrar troca de “mensagens alarmantes” em plataformas digitais.

“Após a veiculação em diversos meios de imprensa nacional e internacional, alguns internautas encaminharam aos signatários desse ofício documentos que apresentam trocas de mensagens alarmantes em plataformas digitais que levam a crer na existência de uma organização de pessoas, em sua maior parte adolescentes e pré-adolescentes, que estimulam-se ao cometimento de assassinatos coletivos, sobretudo nas escolas”, informa o ofício.

“Há indícios que criminosos estão se utilizando de aplicativos de comunicação, como o “discord”, para planejar atentados em escolas”, afirmou o deputado Filipe Barros em uma rede social.

Policiais irão monitorar redes

Mais cedo, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Flávio Dino (PSB), disse que, a partir desta quinta-feira (6), um grupo de policiais será destacado para realizar monitoramento em grupos e sites na chamada “deep web”, onde extremistas se reúnem em grupos para trocar informações e realizar planejamento de crimes.

Segundo Dino, esse monitoramento já conta com 10 policiais e será ampliado.

“A partir de amanhã (quinta-feira, 6 de abril), 50 policiais passarão a se dedicar nos próximos dias, exclusivamente, no monitoramento dessas ameaças na internet. Essa é uma dimensão estruturante de uma Política Nacional de Enfrentamento à Violência e temos uma dimensão emergencial, que é fortalecer estados e municípios”, disse.

Editor de política. Foi repórter no jornal O Tempo e no Portal R7 e atuou no Governo de Minas. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem MBA em Jornalismo de Dados pelo IDP.
Leia mais