Ouvindo...

Times

Suspeitos de atentado contra ônibus do Fortaleza são soltos; entenda

Sport volta a jogar com o Tricolor do Pici no próximo domingo (26), pela semifinal da Copa do Nordeste

Antes presos pela Polícia Civil de Pernambuco (PM-PE), os sete suspeitos de participarem do atentado contra o ônibus dque levava a delegação Fortaleza, que ocorreu em fevereiro deste ano, estão soltos. A informação foi publicada inicialmente pelo GE e confirmada pela Itatiaia.

O fato ocorreu pouco depois do jogo do Leão do Pici contra o Sport, a oito quilômetros da Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE), no dia 21 de fevereiro. Inclusive, as equipes voltarão a se enfrentar no próximo domingo (26), pela semifinal da mesma competição, no mesmo local.

De acordo com a corporação, a soltura ocorreu após uma decisão judicial. Os homens estavam presos de forma temporária por 30 dias, e a Polícia Civil pediu prorrogração para 60 antes de solicitar a prisão preventiva. Duas pessoas ainda não foram encontradas e são consideradas foragidas.

“A Polícia Civil de Pernambuco, por meio da Delegacia de Repressão à Intolerância Esportiva, informa que a investigação solicitou, dentro da Operação de Repressão Qualificada Hooligans, a prisão temporária por 30 dias que foi prorrogada por mais 30 dias, resultando em 60 dias de prisão temporária. A investigação foi concluída e o Inquérito Policial encaminhado ao Ministério Público de Pernambuco com a solicitação de prisão preventiva para todos”, diz nota enviada pela polícia.

A reportagem entrou em contato com o Fortaleza, que disse que, por estar focado no jogo contra o Vasco desta terça-feira (21), pela Copa do Brasil, não vai comentar o assunto por enquanto.

Entenda o caso

No dia 21 de fevereiro, após o empate entre Sport e Fortaleza na Arena de Pernambuco, pela Copa do Nordeste, o veículo com a delegação do Fortaleza foi atingido por pedras e uma bomba caseira.

Seis jogadores ficaram feridos: o goleiro João Ricardo, os laterais Gonzalo Escobar e Dudu, os zagueiros Titi e Brítez e o volante Lucas Sasha. Escobar apresentou o caso mais grave, ao levar uma pancada na cabeça de um estilhaço maior.

A Operação Hooligans foi deflagrada no dia 15 de março. Inicialmente, prendeu três suspeitos ligados à Torcida Jovem do Leão, principal organizada do Sport. No dia 20 daquele mês, o quarto suspeito foi encontrado.

A corporação entendeu, após investigações, que o ato foi premeditado. Depois, em 3 de abril, o presidente e o vice da Jovem também foram presos.

O sétimo suspeito foi apreendido no dia 24 de abril, na cidade de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife (PE).

O Superior Tribunal de Justiça (STJD), após punir o Sport com oito jogos de portões fechados, recuou da decisão. No dia 9 de abril, reduziu a pena para quatro jogos e estabeleceu que apenas parte da Arena de Pernambuco (25%) ficaria fechada. O Leão da Ilha já cumpriu a punição.

Veja a nota completa da Polícia Civil

“A Polícia Civil de Pernambuco, por meio da Delegacia de Repressão à Intolerância Esportiva, informa que a investigação solicitou, dentro da Operação de Repressão Qualificada Hooligans, a prisão temporária por 30 dias que foi prorrogada por mais 30 dias, resultando em 60 dias de prisão temporária. No total , foram sete pessoas presas, estando duas ainda foragidas. A investigação foi concluída e o Inquérito Policial encaminhado ao Ministério Público de Pernambuco com a solicitação de prisão preventiva para todos. O MPPE encaminhou a denúncia ao Judiciário solicitando também a prisão preventiva por tentativa de homicídio, associação criminosa, provocação de tumulto em desfavor de todos os envolvidos”.

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Nuno Krause é correspondente da Itatiaia na região Nordeste. Formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), acumula passagens por Bahia Notícias, Jornal A TARDE e Rádio Salvador FM. Atua no jornalismo esportivo desde 2019.
Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais