Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Zema comenta divergências com Contagem e Betim sobre Rodoanel: ‘Toda obra causa algum impacto’

Governador afirmou que exemplo de concessão italiana pode apontar caminhos para projeto de mobilidade da Região Metropolitana de BH

O governador Romeu Zema (Novo) afirmou que as prefeituras de Betim e de Contagem precisam levar em consideração o interesse público nas discussões sobre o projeto do Rodoanel Metropolitano de Belo Horizonte. Zema avaliou que toda obra pública causa algum impacto, mas que os benefícios com a nova estrada será muito maior para milhares de pessoas da região.

Nesta sexta-feira (8), Zema visitou a sede da empresa italiana INC S.P.A, em Bassano del Grappa, na Itália, e discutiu detalhes do projeto. O Rodoanel é a aposta do governo de Minas para resolver os problemas frequentes de trânsito e acidentes no Anel Rodoviário. A ideia é que o trânsito pesado do Anel seja desviado para a nova rodovia, que vai contornar a Região Metropolitana.

Veja mais: Zema se reúne com donos de empresa italiana para discutir projeto do Rodoanel Metropolitano de BH

O traçado, no entanto, é alvo de críticas das prefeituras de Contagem e de Betim, que apontam riscos ambientais e sociais da obra.

“Nós vamos trabalhar com diálogo, como temos feito desde o início do processo, com diversas audiências públicas, escutando os interessados. Aqui, tive a oportunidade de ver que a rodovia atravessa diversas propriedades rurais, centenas de propriedades, e a empresa teve todo o cuidado de fazer o isolamento acústico, com barreiras de metal ou vidro para fazer com que a propriedade por onde a rodovia passe não seja prejudicada. Então, o que queremos é melhorar a vida dos mineiros. Mas, lembrando que toda rodovia causa impacto, toda rodovia vai atravessar algumas propriedades rurais, algumas propriedades urbanas, algumas desapropriações serão necessárias, mas tudo isso visando o interesse público. Nosso projeto dá oportunidade para todos serem escutados, mas digo que não existe projeto onde ninguém será impactado, todo projeto vai afetar algumas propriedades”, afirmou Zema.

O governador percorreu cerca de 40 quilômetros da Auto Estrada de Pedemontada Veneta, que é gerida pela INC S.P.A, a mesma empresa que fará o Rodoanel.

“Quem vier na Itália pode vir na região de Veneto e conferir como são as estradas. A empresa vai construir a melhor rodovia que teremos em Minas. Pelo que andei, mais de 40 quilômetros, dá para ver que teremos a melhor rodovia, com asfalto bom, segurança e também em termos de tecnologia. Estaremos muito bem servidos. A empresa que fará o Rodoanel e vai operar o trecho pelos próximos 30 anos é uma referência em um país de primeiro mundo”, afirmou Zema.

“O que me chamou atenção desse modelo de rodovia é o conforto, com asfalto excepcional, que garante a segurança dos motoristas, porque o asfalto não é impermeável, a água escorre e não empoça. Teremos talvez uma das rodovias mais modernas em termos de tecnologia, com um sistema eletrônico que vai controlar toda entrada e saída na estrada. Além de um traçado que não tem curvas acentuadas, o que proporciona mais controle e conforto para os motoristas”, disse o governador sobre o modelo da estrada privatizada.

Editor de Política. Formado em Comunicação Social pela PUC Minas e em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Já escreveu para os jornais Estado de Minas, O Tempo e Folha de S. Paulo.
Leia mais