Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Starbucks: mais um shopping de BH entra na Justiça pedindo despejo da cafeteria

Após Del Rey, Cidade, Boulevard e BH Shopping entrarem com ações, foi a vez do Minas Shopping processar a rede, que está em crise no Brasil

Após os Shoppings Del Rey, Cidade, Boulevard e BH Shopping entrarem na Justiça pedindo o despejo da Starbucks por dívidas referentes ao aluguel das lojas, mais um shopping de Belo Horizonte abriu um processo contra a rede de cafeterias: o Minas Shopping, que recebeu uma unidade do Starbucks em 2022.

De acordo com a apuração da Itatiaia, o processo foi impetrado nesta semana e o valor da causa é de R$ 131.157,60. Somando os valores cobrados pelos outros shoppings de Belo Horizonte e pelo Center Shopping Uberlândia, no Triângulo Mineiro, as dívidas da rede de cafeterias com shoppings mineiros já ultrapassa os R$ 680 mil.

Além disso, a empresa também tem uma dívida de mais de R$ 170 mil com o Governo de Minas por causa de atrasos no pagamento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços). A cafeteria teve valores bloqueados na Justiça por conta deste débito. Há ainda uma dívida ativa milionária da empresa com o INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social).

A Itatiaia entrou em contato com a assessoria de imprensa do Minas Shopping e com os advogados da empresa e aguarda retorno. Em nota, a SouthRock Capital, detentora da marca Starbucks no Brasil, afirmou que iniciou o processo de reestruturação da empresa, o que inclui a revisão do número de lojas e da força de trabalho.

Leia mais sobre a crise envolvendo o Starbucks:
SouthRock em crise

A SouthRock Capital, empresa que opera os restaurantes das marcas Starbucks e Subway no Brasil, anunciou, na noite desta terça-feira (31), que entrou com um pedido de recuperação judicial na 1ª Vara de Falências da Justiça de São Paulo na noite desta terça. Segundo o documento, a companhia tem uma dívida estimada em R$ 1,8 bilhão.

A empresa afirmou que o pedido busca “proteger financeiramente suas operações no Brasil atrelado a decisões estratégicas para ajustar seu modelo de negócio à atual realidade econômica”. O pedido de recuperação judicial da empresa foi negado pela Justiça de São Paulo, que argumentou que as alegações usadas pelos advogados foram “genéricas”. A empresa vai passar por uma perícia prévia para, só depois, ter o pedido de RJ reavaliado.

Entre o pedido de recuperação judicial (31 de outubro) e esta quinta-feira (9), o Starbucks fechou 43 lojas no Brasil, uma média de quase cinco unidades por dia. Na lista de lojas do Starbucks, que está disponível no site da empresa, já não aparecem as unidades dos Shoppings Estação (Venda Nova), Minas Shopping (União) e Cidade (Centro). Uma das três unidades do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, também fechou.

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais