Ouvindo...

Times

Câncer de pulmão: especialista aponta cigarro como grande vilão da doença

Nesta sexta-feira (31) é lembrado o Dia Mundial sem Tabaco; objetivo da data é conscientizar a população sobre os impactos do uso do cigarro para a saúde

Nesta sexta-feira (31) é lembrado o Dia Mundial sem Tabaco. O objetivo da data é conscientizar a população sobre os impactos do uso do cigarro para a saúde.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é o maior responsável pelo câncer de pulmão no Brasil e no mundo. Segundo dados do Instituo Nacional do Câncer (Inca), quase 200 mil mortes poderiam ser evitadas anualmente se as pessoas deixassem de fumar, sendo que cerca de um terço destes óbitos estão ligados a algum tipo de câncer causado pelo hábito de fumar. O Inca estima que, até 2025, serão registrados mais de três mil casos de câncer de traqueia, brônquios e pulmão, em Minas Gerais.

Leia também

Neste ano, a Campanha do Dia Mundial sem Tabaco aproveita para alertar a população sobre os riscos do cigarro eletrônico. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) manteve a proibição de fabricar, importar, comercializar e até mesmo fazer propaganda de todos os dispositivos eletrônicos para fumar. Mas muitas pessoas acreditam que o uso do cigarro eletrônico é menos prejudicial à saúde.

Segundo o médico pneumologista do Cancer Center Oncoclínicas Belo Horizonte, Luiz Fernando Pereira, o cigarro eletrônico produz e libera um vapor com inúmeras substâncias que também podem ser prejudiciais à saúde, incluindo cancerígenos. Por exemplo, a nicotina, propilenoglicol, glicerol, material particulado fino, metais pesados e centenas de outras substâncias. Além disso, podem ser misturados diversos aromatizantes que são muito atrativos para crianças iniciarem o uso dos Vapes. Os eletrônicos contêm sais de nicotina e liberam alta concentração de nicotina para os seus usuários.

Sintomas

O pneumologista fala sobre os sintomas que devem despertar a atenção das pessoas. “Os sinais de alerta são tosse, falta de ar e dor no peito. Outros sintomas inespecíficos também podem surgir, entre eles perda de peso e fraqueza. Em poucos casos, cerca de 15%, o tumor é diagnosticado por acaso, quando o paciente realiza exames por outros motivos. Por isso, a atenção aos primeiros sintomas é essencial para que seja realizado o diagnóstico precoce da doença, o que contribui amplamente para o sucesso do tratamento”, ressalta Luiz Fernando Pereira.

Confira os benefícios para saúde, selecionados pela Cancer Center Oncoclínicas BH, quando as pessoas param de fumar:

  • Dentro de 20 minutos, o ritmo cardíaco e a pressão arterial baixam;
  • Em 12 horas, o nível de monóxido de carbono no sangue cai para o normal;
  • De duas a 12 semanas, a circulação sanguínea melhora e a função pulmonar aumenta;
  • Entre um e nove meses, a tosse e a falta de ar diminuem;
  • Em um ano, o risco de desenvolver uma doença coronariana cai pela metade (em relação a um fumante);
  • Em cinco anos, o risco de ter um acidente vascular cerebral é reduzido ao de um não fumante – cinco a 15 anos após parar de fumar;
  • Em 10 anos, o risco de câncer de pulmão cai para cerca de metade em relação a um fumante e o risco de câncer de boca, garganta, esôfago, bexiga, colo do útero e pâncreas também diminuem;
  • Em 15 anos, o risco de doença cardíaca coronária é o mesmo de um não fumante.

Participe dos canais da Itatiaia:

Jornalista formada pelo Uni-BH, em 2010. Começou no Departamento de Esportes. No Jornalismo passou pela produção, reportagem e hoje faz a coordenação de jornalismo da rádio Itatiaia.
Leia mais