Ouvindo...

Times

Câncer de pele: saiba como proteger a pele e aproveitar o verão

Na estação mais quente do ano é importante adotar cuidados para prevenir o câncer, veja quais

Na estação mais quente do ano é necessário redobrar a atenção com a pele. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), em 2024 o Brasil deve registrar cerca de 220 mil novos casos do câncer de pele não melanoma. Em Minas Gerais são esperados mais de 26 mil casos da doença até 2025. Ainda segundo o Inca, o número de casos de melanoma registrados no Brasil é de 8.980 por ano.

A médica dermatologista Cristiane Cárcano explica que o câncer de pele é o tipo mais frequente de tumor em nosso país. Os mais comuns são o carcinoma espinocelular (CEC), o carcinoma basocelular (CBC), também chamados de câncer de pele não melanoma, e o do tipo melanoma.

Sintomas do câncer de pele

Alguns sinais e sintomas devem ser observados e, se encontrados, o alerta em relação à doença deve ser ligado.

“Os cânceres de pele não melanoma podem se manifestar como feridas na pele que não cicatrizam, ou lesões que estão aumentando de tamanho ao longo do tempo. A detecção precoce é fundamental, pois as chances de cura aumentam significativamente quando tratado em sua fase inicial”, explica a médica Cristiane Cárcano. A mudança na aparência de manchas na pele, o crescimento rápido de pinta ou de lesão, a mudança na coloração ou na textura, também são sinais que merecem ser avaliados por um especialista.

Cuidados e prevenção do câncer de pele

Os cuidados com a pele devem ser adotados o ano inteiro, mas são ainda mais importantes durante o verão. Veja algumas medidas para prevenir o câncer de pele que podem - e devem - ser adotadas:

  • Usar chapéus, camisetas, óculos escuros;
  • Cobrir as áreas expostas ao sol com roupas apropriadas;
  • Evitar a exposição solar entre às dez horas da manhã e às quatro horas da tarde;
  • Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou de diversão;
  • Intensificar o uso do protetor solar nos momentos de lazer ao ar livre;
  • Observar regularmente a própria pele à procura de pintas ou sinais suspeitos;
  • Manter bebês e crianças protegidos do sol;
  • Consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.
Leia também

Como escolher o protetor solar?

Segundo a dermatologista Cristiane Cárcano o ideal é escolher produtos que tenham proteção contra as radiações UVA e UVB e fator de proteção solar (FPS) de 30, no mínimo. É importante reaplicar o protetor a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. É importante também, o uso de filtro solar para os lábios.

“Todos os protetores solares são eficazes, mas algumas pessoas vão necessitar de produtos especiais, como para pele oleosa (busque por produtos com controle de oleosidade), para áreas com pelos deve-se usar protetor solar em spray, para pessoas com pele sensível ou alérgicas pode-se utilizar os produtos com filtros físicos, sem perfume e sem potenciais irritantes. Crianças devem utilizar o protetor solar a partir dos 6 meses de idade, preferencialmente os produtos destinados para essa faixa etária”, conclui.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Jornalista formada pelo Uni-BH, em 2010. Começou no Departamento de Esportes. No Jornalismo passou pela produção, reportagem e hoje faz a coordenação de jornalismo da rádio Itatiaia.
Leia mais