Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Tenente Ícaro de Souza é condenado a 12 anos por homicídio doloso de Igor Mendes

O Ministério Público sustentou a tese de homicídio doloso, alegando a existência de intenção de matar, e acrescentou o agravante de motivo fútil

Na terça-feira (14), o tenente Ícaro José de Souza, policial militar responsável pelo disparo contra Igor Mendes, foi condenado pelo Júri Popular. Após cerca de 12 horas de julgamento, os jurados decidiram acatar a tese da acusação de homicídio doloso, determinando uma pena de 12 anos de reclusão. O réu poderá recorrer em liberdade.

Durante o julgamento, o juiz Aderson Antônio de Paulo e os sete jurados ouviram sete testemunhas, sendo cinco de acusação e duas de defesa.

Após os depoimentos das testemunhas, o réu foi interrogado por quase uma hora, respondendo a perguntas tanto da defesa quanto da acusação. Em seguida, o julgamento prosseguiu com um debate de 1 hora e meia para cada lado, seguido de mais 1 hora para réplica e tréplica.

O Ministério Público sustentou a tese de homicídio doloso, alegando a existência de intenção de matar, e acrescentou o agravante de motivo fútil.

Já a defesa argumentou pela absolvição por legítima defesa, fundamentando-se na ideia de que uma combinação de circunstâncias levou ao ocorrido.

No dia 15 de setembro de 2017, Igor Arcanjo Mendes foi atingido por um tiro durante uma abordagem policial quando ia para um show. A Polícia Militar alegou que o veículo em que ele estava descumpriu uma ordem de parada e que Igor fez um movimento brusco durante a abordagem. Familiares e amigos sempre contestaram essa versão, afirmando que o jovem não representava ameaça.

Leia também


Participe dos canais da Itatiaia:

Matheus Renovato, belo-horizontino de 23 anos, é estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Ouro Preto, atua como Assistente de Comunicação na Itatiaia Ouro Preto. Seu interesse se volta especialmente para as áreas do jornalismo político, cultural e esportivo.
Leia mais