Ouvindo...

Times

O que é abdominoplastia reversa? Especialista explica a técnica cirúrgica

O que é a Abdominoplastia Reversa?

A abdominoplastia reversa é a cirurgia cujo objetivo é remover o excesso de flacidez da parte superior do abdômen. É chamada de “reversa” porque, enquanto a abdominoplastia tradicional se concentra na tração inferior de todo o abdômen, a abdominoplastia reversa se concentra apenas na parte superior.

Esta cirurgia é geralmente realizada em pacientes que têm excesso de pele na parte superior do abdômen, o que pode ser resultado de perda de peso significativa, gravidez, envelhecimento ou após uma lipoaspiração. A cirurgia também pode ser realizada e é muito indicada em combinação com a mastopexia (levantamento dos seios) ou a mamoplastia redutora, pois irão compartilhar a mesma cicatriz no sulco mamário.

Na abdominoplastia reversa, o cirurgião faz uma incisão ao longo do sulco inframamário, o dobra de pele abaixo dos seios. A pele é então levantada para permitir a remoção do excesso de pele e de gordura local. Em seguida, a pele é tracionada e suturada abaixo das mamas. Nesta cirurgia não haverá cicatriz em torno do umbigo.

Leia também

Também é importante lembrar que a abdominoplastia reversa pode ser associada a lipoaspiração, mas não é um substituto para a perda de peso e que tem melhores resultados em pacientes com pouca gordura acima do umbigo. Como todas as cirurgias plásticas, os resultados são melhores em pacientes que têm um peso saudável e que mantêm um estilo de vida saudável.

Como sempre, é importante discutir todas as opções e riscos com um médico qualificado antes de decidir realizar qualquer procedimento cirúrgico. Tire todas suas dúvidas aqui.

  • Quais são os candidatos para esta cirurgia?

Pacientes com flacidez apenas acima do umbigo, que geram um acúmulo de pele sobre ele. De preferência, pacientes com pouca gordura, tornando resultado do procedimento mais duradouro, já que haverá pouco peso contra a sutura ao longo do tempo.

  • Qual anestesia usada?

Geralmente anestesia peridural e sedação e anestesia geral. No entanto, em casos mais simples anestesia local e sedação também pode ser usada.

  • Quanto tempo dura esta cirurgia?

Em torno de 1 hora e 30 minutos.

  • A diástase pode ser resolvida nesta cirurgia?

Se a diástase for acima do umbigo apenas, poderá, sim, ser tratada.

  • Quanto tempo de internação?

12 a 24 horas apenas.

  • Quanto tempo depois preciso retirar os pontos?

Atualmente os pontos são realizados todos por dentro do tecido, não havendo necessidade de removê-los.

  • Quais são os riscos e complicações possíveis?

Como em qualquer cirurgia, existem riscos associados à anestesia, seromas, infecção, sangramento, formação de coágulos sanguíneos, cicatrizes inestéticas ou mal posicionadas, além de resultados insatisfatórios quando mal indicada a cirurgia.

  • Posso fazer a lipoaspiração junto?

Sim. Quando há acúmulo de gordura no abdômen além da flacidez, a lipo pode ser associada.

  • Quanto tempo leva a recuperação?

A recuperação da abdominoplastia reversa pode levar 2 semanas. O paciente pode experimentar inchaço, dor e desconforto inicialmente. As atividades normais podem ser retomadas gradualmente, conforme a orientação do cirurgião.

  • Onde estarão as cicatrizes?

As cicatrizes da abdominoplastia reversa geralmente ficam escondidas nos sulcos mamários. No entanto, quando há grande flacidez, há necessidade da união destas cicatrizes, passando pelo espaço entre as mamas.

A visibilidade das cicatrizes pode variar dependendo então da necessidade cirúrgica e da capacidade individual de cicatrização.

  • Meu umbigo vai mudar?

A mudança do umbigo acontecerá apenas com a tração da pele do abdômen superiormente, deixando-o mais tracionado e melhor posicionado, mas o não haverá nenhuma cicatriz ao redor dele.

  • Haverá necessidade de dreno?

Em casos de descolamentos maiores, o dreno de sucção poderá ser usado sim e geralmente retirado poucos dias depois, para evitarmos acúmulos de líquidos como seromas. Pequenos descolamentos, nos casos de pouca flacidez, não necessitarão de dreno.

  • Precisarei de cinta modeladora e drenagens linfáticas?

Sim. Recomendamos o uso de cintas e drenagens no pós-operatório com o intuito de reduzir a fase de edema.

  • Quanto custa esta cirurgia?

O custo da abdominoplastia reversa pode variar amplamente, dependendo do cirurgião, de onde ele atende e da complexidade do procedimento. É uma cirurgia considerada estética e, portanto, não é coberta pelo seguro saúde.

  • Quais são os resultados a longo prazo?

A abdominoplastia reversa pode proporcionar resultados duradouros. No entanto, futuras flutuações de peso ou gravidez podem alterar os resultados.

É importante que todas essas questões sejam discutidas com o cirurgião antes da decisão final sobre o procedimento.

  • Quais as diferenças entre abdominoplastia convencional e a reversa?

A abdominoplastia convencional e a abdominoplastia reversa são procedimentos cirúrgicos que se destinam a melhorar a aparência do abdômen, mas têm diferenças significativas.

  • Área de foco: a principal diferença entre as duas cirurgias está na área do abdômen que cada uma aborda. A abdominoplastia convencional concentra-se em todo o abdômen realizando uma tração inferior completa, removendo o excesso de pele e gordura inferior, mas tracionando todo o abdômen, tratando também a flacidez superior. Em contraste, a abdominoplastia reversa foca apenas na parte superior do abdômen;
  • Incisão e cicatriz: na abdominoplastia convencional, a incisão é geralmente feita horizontalmente acima da linha do púbis, na linha da calcinha e pode se estender de um lado ao outro do abdômen. Nesta cirurgia, haverá também uma cicatriz em torno do umbigo. Na abdominoplastia reversa, a incisão é feita ao longo do sulco inframamário, podendo unir-se entre as mamas e não haverá cicatriz no umbigo;
  • Combinação com outras cirurgias: ambas podem ser combinadas com cirurgias nas mamas ou lipoaspiração;
  • Indicação: a abdominoplastia reversa é geralmente indicada para pessoas que possuem excesso de pele e gordura na parte superior do abdômen, que pode ser difícil de eliminar com dieta e exercício. Isso pode ser o resultado de perda de peso significativa, gravidez, envelhecimento ou uma lipoaspiração prévia sem retração adequada desta pele. Por outro lado, a abdominoplastia convencional é mais frequentemente realizada em pessoas que têm excesso de pele e gordura em todo o abdômen, também pelos mesmos motivos;
  • Recuperação: ambos os procedimentos requerem tempo de recuperação e têm um grau de desconforto e inchaço após a cirurgia. No entanto, como a tração na abdominoplastia reversa é menor, não há necessidade de andar encurvada nesta cirurgia;
  • Efeitos no contorno corporal: enquanto a abdominoplastia convencional pode ter um impacto mais significativo no contorno geral do corpo, dado que também pode apertar os músculos abdominais em toda a sua extensão, a abdominoplastia reversa é mais focada em melhorar o contorno da parte superior do abdômen.

Participe dos canais da Itatiaia:

Cirurgiã Plástica mineira, radicada em São Paulo. Especialista em cirurgias estéticas, faciais e corporais. CRM: 106.491 / RQE: 25827
Leia mais