Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Clube argentino faz proposta por Nicolás Larcamón, ex-técnico do Cruzeiro

San Lorenzo procura novo treinador após a saída de Rubén Insúa e tenta a contratação de ex-comandante do Cruzeiro

Ex-técnico do Cruzeiro, o argentino Nicolás Larcamón recebeu proposta do San Lorenzo-ARG. O clube de Buenos Aires procura novo treinador depois de demitir Rúben Insúa, e o nome do ex-comandante celeste apareceu como uma das opções.

Uma reunião entre dirigentes do San Lorenzo e Larcamón teria ocorrido nesse sábado (13), segundo o jornalista César Luis Merlo. Apesar do interesse do clube de Boedo, o treinador teria rechaçado o convite.

Larcamón deixou Belo Horizonte na madrugada da última quarta-feira (10). O treinador foi visto no terminal de embarque do Aeroporto Internacional de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Nicolás Larcamón deixou o Brasil sozinho, sem a companhia da esposa Vicky Bettancourt Molina e do filho Mateo. Os dois ficaram em Belo Horizonte.

Nesse sábado (13), a esposa de Larcamón publicou fotos no Instagram praticando atividades físicas na região Centro-Sul da capital mineira.

Larcamón demitido do Cruzeiro

Anunciado pelo Cruzeiro no fim de dezembro, Larcamón dirigiu a equipe em 14 jogos, com sete vitórias, quatro empates e três derrotas. Nesse período, o time celeste fez 21 gols e sofreu 13. O aproveitamento foi de 59,52%. O contrato do treinador havia sido assinado até dezembro de 2025.

Um dia após demitir Larcamón, o Cruzeiro anunciou a contratação de Fernando Seabra para o cargo de treinador.

Larcamón doi desligado do Cruzeiro um dia depois de o clube celeste perder a final do Campeonato Mineiro para o Atlético. Apesar disso, segundo o diretor de futebol Pedro Martins, a decisão pela saída do treinador já estava tomada antes mesmo da decisão estadual.

Em coletiva na Toca da Raposa II, em Belo Horizonte, Pedro Martins comentou que a saída de Larcamón foi motivada por uma “desconexão” entre as ideias da diretoria e da comissão técnica.

“Antes da final, a gente já estava com a decisão pronta de não dar seguimento, porque não víamos perspectiva. A avaliação de trabalho é justamente essa. ‘E se a gente insistir um pouco mais agora? Será que tem perspectiva de funcionar?’. A gente não via mais perspectiva. É uma decisão dura, difícil, porque identificamos potencial, mas, na prática, não houve conexão entre a maneira do clube trabalhar e a comissão técnica”, garantiu.

Prestígio de Larcamón acabou com vice do Mineiro

Conforme antecipou a Itatiaia, uma reunião na tarde desta segunda-feira (8) sacramentou a saída de Nicolás Larcamón. A perda do título mineiro para o Atlético, nesse domingo (7), fez o técnico Nicolás Larcamón balançar e perder respaldo interno no Cruzeiro.

Larcamón foi chamado de burro pelo Mineirão lotado nesse domingo após ver o Cruzeiro perder o título estadual para o arquirrival. Na final, o time cruzeirense precisava do empate para erguer a taça após cinco anos, mas perdeu de virada por 3 a 1.

Algumas decisões do técnico Nicolás Larcamón estavam sendo contestadas nos bastidores do clube. A não utilização com mais frequência de atletas da base também pesou para a demissão.

O nome de Larcamón também não era unanimidade na própria diretoria do Cruzeiro. Antes mesmo da final contra o Atlético, alguns diretores já desejavam a saída do argentino. O diretor técnico Paulo Autuori, segundo apuração da Itatiaia, questionava decisões do treinador.

Incoerência em decisões incomodou líderes da SAF

Segundo apurou a reportagem, a demissão de Larcamón teve relação com decisões questionadas pela direção da SAF e pelo elenco, além da baixa utilização de jogadores formados nas categorias de base.

Decisões questionáveis acerca da escalação do time nos últimos jogos geraram desconforto na cúpula cruzeirense. Pelo mesmo motivo, Larcamón perdeu parte do grupo. Uma fonte informou que as justificativas do treinador convenciam o elenco.

No primeiro clássico da final do Mineiro, por exemplo, Larcamón optou por deixar Zé Ivaldo no banco de reservas. A decisão surpreendeu a direção, o grupo e, principalmente, a torcida.

Outra decisão que contrariou parte do grupo foi levar vários titulares para compor o banco de reservas na partida de quinta-feira (4), em Quito, contra a Universidad de Quito, pela abertura da Copa Sul-Americana. Alguns atletas entendiam que seria melhor ficar na Toca na preparação para o clássico.

No jogo internacional, por exemplo, Zé Ivaldo foi escalado como titular e acabou deixando a partida com uma contusão muscular. Por pouco, o zagueiro não reuniria condições de jogar o clássico.

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Guilherme Piu é jornalista esportivo com experiência multiplataforma: digital, revista, rádio e TV. Tem dois livros publicados e foi premiado em festivais de cinema no Brasil e no exterior, dentre eles o Cinefoot. Cobriu grandes eventos, como Copa do Mundo, Olimpíada, Copa América e torneios de futebol. Passou por Hoje em Dia, Uol e Revista Placar.
Leia mais