Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

ONU aprova resolução que pede pausa humanitária e proteção de crianças em Gaza

Guerra já deixou mais de 12,9 mil mortos

Foram 12 votos favoráveis à proposta de Malta. EUA, Rússia e Reino Unido se abstiveram

Foram 12 votos favoráveis à proposta de Malta. EUA, Rússia e Reino Unido se abstiveram

Reprodução/ONU/Youtube

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou, nesta quarta-feira (15/11), a proposta feita por Malta (país da região do Mediterrâneo) que pede pausas humanitárias e proteção a crianças que estão em Gaza em meio à guerra entre Israel e o Hamas. A proposta também inclui a liberação de reféns que estejam sob o domínio do grupo armado.

Foram 12 votos a favor, incluindo o Brasil. Estados Unidos, Rússia e Reino Unido, que têm poder de veto, se abstiveram. Nenhum país foi contrário à proposta. Os russos chegaram a propor uma emenda pedindo um cessar-fogo, o que não foi aprovado. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) disse receber a aprovação “com satisfação”.

As pausas humanitárias, sem duração específica de tempo, devem servir para o estabelecimento de corredores de ajuda, com serviços básicos a quem mora no território palestino. A ideia é que agências da ONU e parceiros imparciais, como a Cruz Vermelha, tenham acesso seguro ao local.

A resolução proposta por Malta não condena nenhum dos dois lados da guerra. Os ataques feitos pelo Hamas em 7 de outubro não são classificados como “atos terroristas”.

Desde o início do conflito, ao menos 12,9 mil pessoas morreram: 1.402 do lado israelense e 11.500 na Faixa de Gaza.

É jornalista formado pela Universidade de Brasília (UnB). Cearense criado na capital federal, tem passagens pelo Poder360, Metrópoles e O Globo. Em São Paulo, foi trainee de O Estado de S. Paulo, produtor do Jornal da Record, da TV Record, e repórter da Consultor Jurídico. Está na Itatiaia desde novembro de 2023.
Leia mais