Ouvindo...

Times

Barco encontrado com corpos em decomposição no Pará iria para as Ilhas Canárias, diz PF

As Ilhas Canárias, que fazem parte do arquipélago espanhol, são consideradas porta de entrada para migrantes que buscam acessar ilegalmente no continente europeu

As investigações da Polícia Federal apontam que o barco com corpos encontrados na costa do Pará tinha como destino às Ilhas Canárias, na costa da África Ocidental. A informação foi confirmada à Itatiaia por fontes na PF.

As Ilhas Canárias, que fazem parte do arquipélago espanhol, são consideradas porta de entrada para migrantes que buscam acessar ilegalmente o continente europeu.

A embarcação foi encontrada no sábado (13) na costa paraense. Nove corpos estavam dentro do barco que estava à deriva. A PF suspeita de que ao menos 25 pessoas estivessem no barco, após ter encontrado 25 capas de chuva dentro da embarcação.

Como o barco foi localizado sem motores ou qualquer sistema de propulsão, especialistas em oceanografia afirmam que a embarcação pode ter sido impulsionada por correntes marítimas e ventos do Oceano Atlântico, que a trouxeram da costa africana para o litoral brasileiro. A distância percorrida supera os 4.000 km.

As novas informações reforçam a suspeita da PF de que as mortes podem estar associadas ao crime de contrabando ilegal de imigrantes.

Os trabalhos de perícia vão durar até pelo menos até o final de semana. Técnicas internacionais de perícia da Interpol utilizadas pela Polícia Civil em Brumadinho vão ser utilizadas nas investigações da PF no Pará.

Detalhes sobre a origem da embarcação e nacionalidade das vítimas

Documentos localizados pela Polícia Federal apontam que a embarcação com corpos localizada à deriva na costa do Pará estava na Mauritânia, na África, no dia 17 de janeiro deste ano.

Outras documentações apontam que vítimas da Mauritânia e Mali estavam na embarcação. Apesar disso, a PF não descarta que pessoas de outras nacionalidades estivessem na embarcação.

Leia também


Participe dos canais da Itatiaia:

Repórter de política na Rádio Itatiaia. Começou no rádio comunitário aos 14 anos. Graduou-se em jornalismo pela PUC Minas. No rádio, teve passagens pela Alvorada FM, BandNews FM e CBN, no Grupo Globo. No Grupo Bandeirantes, ocupou vários cargos até chegar às funções de âncora e coordenador de redação na BandNews FM BH. Na televisão, participava diariamente da TV Band Minas e do BandNews TV. Vencedor de 8 prêmios de jornalismo. Já foi eleito pelo Portal dos Jornalistas um dos 50 profissionais mais premiados do Brasil.
Leia mais