Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

BR-381: ministro Anastasia, do TCU, avalia mudanças no projeto de concessão da ‘Rodovia da Morte’

Ministro do Tribunal de Contas da União avaliou mudanças feitas no projeto de concessão da BR-381, entre BH e Governador Valadares

O ministro Antonio Anastasia, do Tribunal de Contas da União (TCU), afirmou que as mudanças implementadas no projeto de duplicação e concessão da BR-381, entre Belo Horizonte e Governador Valadares, devem tornar a rodovia mineira mais atrativa para o setor privado.

“A BR-381, obra encravada no coração de todos os mineiros, é uma obra muito complicada, porque se trata de um trecho com problemas graves de geografia. Há uma questão da estrutura rochosa da região e as curvas que tornam a obra complicadíssima. Lamentavelmente, já foram feitas duas licitações e as duas deram errado, ninguém apareceu. Há um compromisso do governo federal em realizar essa obra, é a principal do ministério de Renan Filho no Ministério dos Transportes”, explicou Anastasia.

Desapropriações

Em entrevista ao programa Rádio Vivo, da Itatiaia, nesta segunda-feira (22), o ministro do TCU avaliou que uma força tarefa entre os governos federal e estadual e as prefeituras poderá ajudar na remoção das famílias que vivem às margens da “Rodovia da Morte”.

Em fevereiro, durante visita a Belo Horizonte, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou que o governo federal ficará responsável pelas obras no trecho entre a capital mineira e Caeté, área em que aconteceram a maioria das invasões de terra nas margens da estrada.

A medida é apontada pelo ministro como fundamental para que o setor privado tenha interesse em gerir a BR-381, já que os custos com as desapropriações tornam o projeto ainda mais complexo.

Veja mais: BR-381: desapropriações e alto custo de obras afastam empresas da ‘Rodovia da Morte’

“Foi apresentada uma nova proposta, que fui relator no TCU e aprovamos na semana passada. Agora há um ponto positivo, tiramos o ponto mais complicado, que é a aproximação de Belo Horizonte, mudamos alguns valores e tenho a esperança que, semelhante à BR-040, vamos ter licitantes no próximo leilão”, diz Anastasia.

“Não podemos fazer a estrada de Caeté para lá e ficar um gargalo no trecho mais próximo de BH. Então, tenho a impressão que haverá uma força tarefa robusta entre o governo federal, do estado e das prefeituras para fazer a remoção, com dignidade e respeito às famílias, da área vizinha da rodovia, o que vai permitir o aumento da via”, concluiu.

A previsão do Ministério dos Transportes é que o novo leilão da BR-381, entre BH e Valadares, aconteça no segundo semestre deste ano.

Leia também


Participe dos canais da Itatiaia:

Editor de Política. Formado em Comunicação Social pela PUC Minas e em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Já escreveu para os jornais Estado de Minas, O Tempo e Folha de S. Paulo.
Antes de trabalhar no rádio, Eduardo Costa foi ascensorista e office-boy de hotel, contínuo, escriturário, caixa-executivo e procurador de banco. Formado em Jornalismo pelo UNI-BH, é pós-graduado em Valores Humanos pela Fundação Getúlio Vargas, possui o MBA Executivo na Ohio University, e é mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Agora ele também está na grande rede!
Leia mais