Ouvindo...

Times

Consórcios de ônibus de BH receberam R$ 16,8 milhões da PBH após sanção de subsídio

Poder Executivo municipal afirma que empresas de coletivos cumpriram 95% das obrigações que condicionam o aporte público e crê em melhoria

Os consórcios operacionais que administram os ônibus de Belo Horizonte já receberam R$ 16,8 milhões do teto de R$ 512,8 milhões previsto pela prefeitura para subsidiar o transporte coletivo.

O número foi revelado nesta sexta-feira (28), pelo chefe da Superintendência de Mobilidade do Município de Belo Horizonte (Sumob), André Dantas. Segundo ele, o repasse aconteceu nesse tamanho porque as empresas cumpriram 95% das obrigações que condicionam o aporte público.

A remuneração complementar às empresas, que viabilizou o retorno da tarifa-base a R$ 4,50, é norteada pelos quilômetros rodados pelos ônibus. A prefeitura estimava que, entre os dias 8 e 20 deste mês, todos os coletivos da capital percorressem 5,1 milhões de quilômetros, o que equivaleria a uma ajuda de R$ 18 milhões. Como os coletivos circularam por 4,8 milhões de quilômetros, as empresas do setor tiveram direito aos R$ 16,8 milhões já citados.

Em entrevista coletiva na sede do Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH), na Zona Oeste da cidade, André Dantas avaliou positivamente o primeiro recorte de dias sob a vigência do subsídio.

“Não podemos ficar satisfeitos com nada abaixo de 100%. Trabalhamos para alcançar 100%, mas, neste momento, com todo o processo de transição que estamos passando, é um resultado satisfatório. Vamos avançar para que seja cada vez melhor. Temos a confiança de que isso vai acontecer em um futuro bem próximo”, disse.

Segundo ele, as empresas têm atravessado uma “curva de aprendizado” por ainda estarem se habituando ao modelo de remuneração por quilômetro rodado.

“Vejo, em nossas interlocuções com as concessionárias e permissionários, uma vontade de melhorar para alcançar os 100%, um bom serviço. Faremos a nossa parte e exigiremos tudo o que pudermos exigir dentro das previsões legais”, completou.

Entre as condicionantes que regulam os repasses dos recursos a título de subsídio, está a necessidade do cumprimento de requisitos de qualidade nas viagens.

Eustáquio Ramos é repórter e apresentador da Itatiaia
Graduado em Jornalismo, é repórter de Política na Itatiaia. Antes, foi repórter especial do Estado de Minas e participante do podcast de Política do Portal Uai. Tem passagem, também, pelo Superesportes.
Leia mais