Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Sabino é nomeado para o Turismo em edição extra do Diário da União, e novela com Daniela Carneiro chega ao fim

Exoneração de Daniela Carneiro (União-RJ) e nomeação de Celso Sabino (União-PA) eram negociados entre Lula (PT) e o Centrão há cerca de um mês

Celso Sabino (União-PA) é o novo ministro do Turismo do governo Lula (PT)

Celso Sabino (União-PA) é o novo ministro do Turismo do governo Lula

Câmara dos Deputados

O deputado federal Celso Sabino (União-PA) é oficialmente o novo ministro do Turismo do governo Lula (PT). Em decreto publicado na edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) nesta tarde de sexta-feira (14), o presidente indicou a nomeação do parlamentar e a exoneração de Daniela Carneiro (União-RJ) — ‘Daniela do Waguinho’.

A troca de um pelo outro é negociada entre Lula e partidos ligados ao Centrão há cerca de um mês; a ex-ministra está de saída do União Brasil e é considerada um nome escolhido pessoalmente pelo presidente. Por outro lado, Sabino é uma indicação dos grupos do Centro na Câmara dos Deputados e a nomeação dele pode apaziguar os ânimos destes partidos, que também miram os ministérios do Esporte e do Desenvolvimento Social para se tornar mais presente no alto escalão do governo federal.

A confirmação do nome de Celso Sabino para assumir a pasta aconteceu nessa quinta-feira (13) após reunião entre o parlamentar, Lula e ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, no Palácio do Planalto. Na ocasião, o político aceitou formalmente o convite para o Ministério do Turismo, negociado ao longo de todo o mês passado entre aliados do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e interlocutores do petista.

A ministra Daniela Carneiro deixará a pasta após balançar por cerca de 50 dias entre negociações e reuniões dos partidos ligados ao Centrão com o presidente Lula (PT). A reunião derradeira aconteceu na última quinta-feira (6), quando o ministro das relações institucionais, Alexandre Padilha, e Lula acolheram a carta de demissão de Carneiro. A saída da ministra foi negociada em meio à pressão de partidos de Centro para ocupar mais cargos no alto escalão do governo petista e se seguiu à aprovação da reforma tributária na Câmara dos Deputados.

Eleita deputada pelo União Brasil, Daniela Carneiro articulava sua saída do União, e aliados acreditam que a indicação de Sabino pela Câmara para o cargo poderá auxiliar Lula a articular um apoio mais sólido para votações no plenário.

Saída de Daniela Carneiro

A saída de Daniela Carneiro do Ministério do Turismo sete meses após assumir o cargo já era dada como certa por interlocutores do governo e da Câmara dos Deputados. Há mais de um mÊs, a mudança no comando da pasta era discutida pelo ministro Alexandre Padilha (PT), das Relações Institucionais, líderes do União Brasil e Waguinho, o marido de Daniela. O presidente Lula, aliás, já tinha indicado Celso Sabino como o substituto.

Saída de Daniela Carneiro. Daniela Carneiro deixa o Ministério do Turismo em meio à forte pressão dos colegas parlamentares que compõem a bancada do União Brasil e ao pedido de desfiliação apresentado por ela junto à Justiça Eleitoral. O governo Lula (PT) negociou para entregar o cargo a um indicado pelo partido em meio às negociações por maior aprovação dos projetos governistas no Congresso.

Carta de demissão. O imbróglio em torno da saída ou não de Daniela do Ministério do Turismo se arrastou no decorrer do último mês. A previsão inicial era que a situação se resolveria durante a reunião com o presidente Lula na quinta-feira (6), no Planalto. Na quarta-feira (5), o marido de Daniela — e seu principal articulador — declarou que ela entregaria uma carta de demissão ao mandatário durante a reunião. Na ocasião, ele se reuniu com o ministro Alexandre Padilha para tratar de “compensações” para uma “saída honrosa” da titular do Ministério do Turismo.

Quem é Celso Sabino?

Evangélico praticante, Sabino ocupa uma cadeira do Pará na Câmara dos Deputados. Filiado ao União Brasil, ele conquistou 142 mil votos (3,14% dos votos válidos) nas eleições de 2022, se elegendo pela segunda vez consecutiva.

Sabino conquistou o seu primeiro cargo público em 2011 como deputado estadual suplente em Belém filiado ao antigo Partido da República (PR). No ano seguinte, atuou como secretário estadual na Secretaria de Trabalho, Emprego e Renda (Seter).

Em 2013, se filiou ao PSDB e conquistou a posição de deputado estadual pelo partido, com um novo mandato entre 2014 e 2018. Foi também nas eleições de 2014 que ele apoiou a candidatura de Aécio Neves à presidência da República na disputa com Dilma.

Em 2021, Sabino anunciou sua saída do PSDB após conflitos internos entre diferentes alas do partido principalmente após a sigla ter se alinhado às política do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro.

(Com Estadão Conteúdo)

Repórter de política em Brasília. Na Itatiaia desde 2021, foi chefe de reportagem do portal e produziu série especial sobre alimentação escolar financiada pela Jeduca. Antes, repórter de Cidades em O Tempo. Formada em jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais.
Leia mais