Ouvindo...

Times

O aumento da conta de luz

Nos primeiros dias de julho, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a conta de luz terá acréscimo de R$ 1,88 a cada 100 kW/h consumidos no mês

O mês de julho chegou e não trouxe o frio como o esperado, mas trouxe o aumento na conta de luz. A falta de chuvas e o aumento do uso da energia causado pelo calor fora de época foram uns dos responsáveis por isso. Eles motivam acionamento de térmicas, impactando os custos da operação do sistema elétrico e custam mais caro.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a conta de luz terá acréscimo de R$ 1,88 a cada 100 kW/h consumidos no mês de julho. A cobrança adicional vai ocorrer por causa do acionamento da bandeira tarifária amarela.

A bandeira tarifária amarela não era acionada desde abril de 2022 e valerá aos consumidores de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN), com custo adicional na conta de luz. Para exemplificar, com a bandeira amarela, uma conta de luz de R$ 100 passaria para R$ 102,6 com esse acionamento.

Leia também

Produção de energia

Nas usinas termoelétricas, a eletricidade é obtida por meio da conversão de energia térmica em energia elétrica. Esse processo acontece dentro das usinas e tem início com a queima de um determinado material, como combustíveis fósseis ou biomassa, para a obtenção de calor. O calor aquece a água presente em uma caldeira, transformando-a no vapor que move as turbinas para o acionamento dos geradores.

O uso dos combustíveis fósseis gera gases poluentes e vai na contramão ambiental para a diminuição da temperatura global. Temos como gases poluentes o dióxido de carbono (CO2), o monóxido de carbono (CO) e outros, como os óxidos de enxofre e de nitrogênio que causam chuvas ácidas.

Esse fato fica parecendo um cachorro correndo atrás do rabo: aumento de temperatura, alteração no clima, falta de chuva, maior uso de energia e volta novamente, em um círculo vicioso. Com as mudanças climáticas, algumas alterações ambientais foram acontecendo, uma delas foi a escassez do recurso hídrico, fazendo-se perceber que este é um recurso finito e que novas formas de tecnologia devem ser desenvolvidas.

Leia mais:

Num país extremamente tropical como o nosso e que bate sol diariamente é preciso investir cada vez mais nas usinas solares. A energia fotovoltaica é a energia elétrica produzida a partir de luz solar, e pode ser produzida mesmo em dias nublados ou chuvosos. Quanto maior for a radiação solar, maior será a quantidade de eletricidade produzida.

A energia do sol é inesgotável e chega até a terra de forma completamente gratuita. Aproveitando isso, novas tecnologias estão sendo utilizadas e, hoje em dia, o uso das usinas solares está em crescente expansão. Apesar de vários empreendimentos e do crescimento das usinas, o país abarca um número maior ainda de usinas solares, que podem ser acionadas no caso de escassez de água.

E, enquanto não temos usinas solares suficientes para abastecer o nosso vasto país, a conta de luz aumenta e infelizmente, o consumidor paga.


Participe dos canais da Itatiaia:

Cristiana Nepomuceno é bióloga, advogada, pós-graduada em Gestão Pública, mestre em Direito Ambiental. É autora e organizadora de livros e artigos.
Leia mais