Ouvindo...

Times

Inglesa corta tornozelo no jardim de casa e é infectada com bactéria ‘comedora de carne’

Louise Fawcett sentiu a perna inchar após ter sofrido um pequeno corte no jardim da casa dela

Louise Fawcett, de 58 anos, de Derbyshire, na Inglaterra, descobriu que estava com fasciíte necrosante ao ser infectada com uma bactéria ‘comedora de carne’. Tudo começou quando ela cortou o tornozelo com a ponta de telhas que estavam no jardim da casa dela.

Após o pequeno acidente, ela sentiu um inchaço na perna, e acabou descobrindo uma pequena ferida - o que ela achou que era apenas um machucado normal. Contudo, no dia seguinte, ela acordou suando frio e resolveu ir ao médico. “Recebi antibióticos, porém, naquela noite comecei a me sentir muito pior. Na manhã seguinte eu tinha o que parecia ser uma marca de nascença de vinho do Porto [com cores roxas muito fortes] no meu tornozelo. Eu disse a Mark [seu marido] que achava que estava com sepse — contou, em entrevista a um jornal inglês local.”, contou a um jornal inglês.

Como o quadro de Fawcett estava piorando, ela foi levada pelo marido para o Chesterfield Royal Hospital. No local, a empresária começou a passar mal na sala de espera enquanto esperava por resultados do exame de sangue. Ela foi acudida pela enfermeira Charlotte Holmes.

Leia também

“Devo minha vida a Charlotte. Ela estava estudando a doença potencialmente fatal fasciíte necrosante na semana anterior na universidade. Ela disse que percebeu em poucos minutos que eu parecia mal, que eu estava piorando, mas estava sendo muito descritivo sobre como me sentia, o que a ajudou a fazer o diagnóstico”, explicou.

Piora no quadro

Até descobrirem a qual a bactéria que estava afetando Fawcett, a fasciíte já tinha atingido, além do tornozelo, o joelho. A empresária teve que ficar internada na Unidade de Tratamento Intensivo por três dias e foi submetida a seis cirurgias. Os médicos chegaram a informar a família da empresária que ela teria apenas 20% de chances de sobreviver a doença.

“Tive que fazer uma cirurgia plástica porque eles penetraram profundamente no meu tornozelo. Eles tiveram que fazer um enxerto de pele [aplicação de uma nova camada de pele saudável no local onde a bactéria atacou] da minha coxa até o pé. O enxerto de pele funcionou e fiquei impressionada com meu progresso”, esclareceu Fawcett.

Apesar do susto, a inglesa já está em casa, mas depende dos familiares para ajudá-la em tarefas básicas. Fawcett tem lidado com a perda de independência e com a adaptação à prótese.


Participe dos canais da Itatiaia:

Ana Luisa Sales é estudante de jornalismo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Na Itatiaia desde 2022, já passou por empresas como ArcelorMittal e Record TV Minas. Atualmente escreve para as editorias entretenimento, curiosidades e cidades.
Leia mais