Ouvindo...

Times

Saiba quem é Isabel Veloso, influenciadora de 17 anos em tratamento paliativo após câncer

Jovem natural de Chopinzinho, no Paraná, completa 18 anos no próximo mês e chamou atenção nas redes sociais ao falar da doença terminal

Ver resumo
  • A influenciadora Isabel Veloso, de 17 anos, possui o diagnóstico de linfoma de Hodgkin. Ela descobriu que tinha a doença quando tinha 15 anos
  • Veloso chegou a receber o transplante de medula óssea e a afirmar que havia sido curada em novembro de 2023. Três meses depois recebeu um novo diagnóstico
  • Médicos apontam que ela tem entre dois a quatro meses de vida
  • A jovem vai se casar no dia 13 de abril de 2024, com Lucas Borba
  • Ela foi acusada de mentir sobre a doença nas redes sociais, e apresentou o laudo médico
  • Linfoma de Hodgkin é uma doença rara e representa apenas 0,5% dos diagnósticos de câncer

A influenciadora Isabel Veloso chamou atenção nas redes sociais ao relatar que está recebendo cuidados paliativos para um câncer definido como incurável. Aos 17 anos, a jovem acumula mais de 1,6 milhão de seguidores nas redes sociais, onde compartilha a rotina e tira dúvidas sobre o diagnóstico considerado “terminal” e tratamento.

Natural de Chopinzinho, no interior do Paraná, Isabel completa 18 anos no início do próximo mês. Filha de pais separados, ela tem três irmãs, de 34, 29 e 27 anos. Noiva de Lucas Borbas, com quem namora há sete meses, a jovem está com o casamento marcado para o próximo sábado (13) e chegou a ser acusada de fingir que está doente para custear a cerimônia.

Após as acusações, Isabel foi às redes sociais para exibir um laudo médico para comprovar o estado de saúde. O documento destaca que a adolescente possui “Linfoma de Hodgkin sem resposta ao tratamento quimioterápico” e que ela passa por “cuidados paliativos exclusivos” para tratar dor e melhorar a qualidade de vida da jovem.

O que é o Linfoma de Hodgkin

Hematologista do Grupo Oncoclínicas, em Belo Horizonte, Dr. Caio César Ribeiro explica que o “Linfoma de Hodgkin é um tipo de câncer que afeta o sistema linfático e costuma acometer principalmente pessoas jovens, embora tenha um segundo pico de incidência em pessoas com mais de 60 anos”.

Segundo o médico, ele “corresponde a 0,5% de todos os tipos de câncer e costuma apresentar-se com crescimento de linfonodos no pescoço ou axilas, estes também conhecidos popularmente como ínguas. A doença pode acometer também a região próxima ao coração, conhecida como mediastino, e pode se manifestar com dores no peito e cansaço”.

Demora no diagnóstico

Durante entrevista ao podcast “Inteligência Ltda”, onde relatou uma experiência de “quase morte”, Isabel relembrou a demora que enfrentou para receber o diagnóstico de câncer. “Eu já tinha passado por cinco médicos e nenhum deles me diagnosticava certo. Já falaram que era ‘só uma gastrite’. Teve médico mandando tomar um chá, porque era só nervosismo”, contou a influenciadora.

Após quase seis meses de exames e consultas médicas, Isabel descobriu, há três anos, um Linfoma de Hodgkin entre o coração e o pulmão. O tumor de mais de 17 cm de diâmetro chegou a causar uma “deformação” no corpo da jovem que, à época, tinha recém completos 15 anos. O linfoma comprimia os pulmões da jovem, causando acúmulo de líquido no órgão, além de também afetar o coração.

A influenciadora revelou que tem um “trauma muito grande” de sentir dores, devido à demora do diagnóstico. “Eu sabia que estava doente, mas eu não tinha diagnóstico, então eu sofri muito. Eu tenho certeza que se eu tivesse descoberto no começo, seria muito diferente”, contou Isabel. A jovem foi submetida a quimioterapia, imunoterapia e até mesmo um transplante de medula óssea, sendo considerada curada em certo período.

Leia também

Decisão pelo tratamento paliativo

Apesar dos esforços da jovem e dos médicos, a doença retornou pouco tempo depois. Isabel revelou que tentou uma nova imunoterapia, mas que o tratamento passou a causar problemas no organismo. Entre eles, a jovem desenvolveu dores neuropáticas, perdeu um pouco dos movimentos das pernas e força do braço direito. “Aí, eu falei que não dava mais”, revelou no podcast.

A jovem está em tratamento paliativo há cerca de dois meses, apesar de ter recebido o mesmo período como possível expectativa de vida. “Como o tumor está pequeno, pode ser que o tempo aumente um pouco. Eu sei que, como não estou fazendo tratamento, não passo de anos, é questão de meses. O que me resta é aproveitar”, destacou Isabel.

Qual a diferença de casos paliativos

Para pacientes sem respostas ao tratamento, como Isabel, o Dr. Caio César Ribeiro destacou alguns cuidados que devem ser tomados. “É muito importante que o médico hematologista que cuida do paciente com esse tipo de câncer explique sobre a doença e as expectativas em relação ao controle de sintomas e qualidade de vida”, iniciou.

“O acompanhamento de um médico de Cuidados Paliativos que irá auxiliar o hematologista e o paciente na condução dos cuidados para uma vida melhor também é muito importante”, pontuou o médico. “Recentemente, tivemos a criação do Comitê de Cuidados Paliativos na ABHH (Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia) que tem trazido mais avanço e cuidados para os pacientes”.

Conforme anunciado por Isabel, um novo exame mostrou que o crescimento do tumor se estabilizou, o que pode interferir na expectativa de vida dada pelos médicos. “É muito difícil traçar exatamente um tempo de vida para qualquer paciente que apresente uma doença refratária aos tratamentos disponíveis. O Linfoma de Hodgkin pode apresentar períodos de maior crescimento e estabilidade e pode ser que o tempo seja maior ou menor do que esse”, esclareceu o hematologista do Grupo Oncoclínicas.

Casamento de Isabel e Lucas

Isabel revelou, através das redes sociais, que foi pedida em casamento por Lucas Veloso em 22 de março deste ano. A jovem e o empresário, que se conheceram em uma academia da cidade natal dos dois, estão juntos há sete meses e irão se casar neste sábado (13). Até o momento, não foram divulgados detalhes sobre a cerimônia.


Participe dos canais da Itatiaia:

Maria Clara Lacerda é jornalista formada pela PUC Minas e apaixonada por contar histórias. Na Rádio de Minas desde 2021, é repórter de entretenimento, com foco em cultura pop e gastronomia.


Leia mais