Ouça a rádio

Compartilhe

Lula, Ciro e Tebet criticam Bolsonaro após ataques em evento com embaixadores

Presidente reuniu embaixadores no Planalto e voltou a atacar o TSE e o sistema eleitoral brasileiro

Pré-candidatos à Presidência reagiram mal a evento de Bolsonaro com embaixadores

Pré-candidatos à Presidência da República unificaram os discursos em tom crítico ao evento promovido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (18). O chefe do Executivo reuniu embaixadores de diversos países e atacou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministros e as urnas eletrônicas.

Em uma postagem compartilhada em rede social, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que lidera as pesquisas de intenção de voto, disse que Bolsonaro contou "mentiras contra nossa democracia".

"É uma pena que o Brasil não tenha um presidente que chame 50 embaixadores para falar sobre algo que interesse ao país. Emprego, desenvolvimento ou combate à fome, por exemplo. Ao invés disso, conta mentiras contra nossa democracia", publicou.

Planalto omite ataques de Bolsonaro ao TSE e diz que evento com embaixadores foi 'intercâmbio de ideias'

O ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), foi ainda mais duro e disse que, depois deste evento, o Brasil "não poderia se dizer integrante do grupo de países democráticos".

"Nunca, em toda história moderna, o presidente de um importante país democrático convocou o corpo diplomático para proferir ameaças contra a democracia e desfilar mentiras tentando atingir o Poder Judiciário e o sistema eleitoral", compartilhou Ciro.

O pré-candidato do PDT disse que Bolsonaro cometeu vários crimes de responsabilidade e que ele deveria ser retirado do cargo.

"Sei que se trata de uma tarefa delicada porque temos uma figura como Arthur Lira na presidência da Câmara, a quem caberia dar andamento a um pedido de impeachment. Não há mais paciência política nem armadura institucional capazes de suportar tamanho abuso. Muito menos complacência de se interpretar organização clara e deliberada de golpe como arroubos retóricos ou desatinos de um presidente desqualificado", completou Ciro.

A senadora Simone Tebet (MDB) também endossou as críticas e disse que "o Brasil passa vergonha diante do mundo".

"O Brasil passa vergonha diante do mundo. O presidente convocou embaixadores e utilizou de meios oficiais e públicos para desacreditar mais uma vez o sistema eleitoral brasileiro. Reforço minha confiança na Justiça Eleitoral e no sistema de votação por urnas eletrônicas", publicou.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store