Ouça a rádio

Compartilhe

Possíveis novidades no Twitter com a chegada de Elon Musk

Empresário suspendeu negociação temporariamente, mas já falou sobre o que quer mudar na plataforma

Musk suspendeu a negociação com o Twitter, mas já tem lista de mudanças que quer fazer

As negociações entre Elon Musk e Twitter continuam suspensas temporariamente e, na última terça-feira (21), ele voltou a afirmar que há aspectos 'não resolvidos' na rede social. O empresário se refere aos perfis falsos existentes na plataforma, que levaram à interrupção da transação e que Musk quer esclarecer antes de finalizar a operação.

Isso porque a quantidade de robôs na rede social pode afetar as estimativas de receita da companhia e alterar quanto o empresário pretende pagar por ela — por enquanto, o negócio foi avaliado em US$ 44 bilhões. Segundos especialistas, Musk pode querer renegociar a oferta após a análise dos dados e o Twitter pode ir à Justiça para que ele cumpra o acordo. 

Muito se especula sobre o que vai mudar na plataforma com a chegada do empresário. Arthur Igreja, especialista em tecnologia, inovação e tendências, diz que é extremamente difícil prever quais novidades serão adicionadas. “Estima-se que haja planos de cobranças, moderação de conteúdo, novas áreas de atuação e outras”, aponta. “Podemos esperar até uma mudança cultural bastante forte, visto que as culturas da Tesla e do Twitter são substancialmente diferentes.”

Apesar de o processo de aquisição ainda estar suspenso, o empresário já declarou algumas alterações que pretende fazer na rede social. Veja, a seguir, as principais delas.

1. Remoção de bots

O empresário já declarou que essa seria a primeira mudança que ele faria. “Uma prioridade que eu teria é eliminar os bots de spam e scam, e os exércitos de bots que estão na rede”, destaca. “Eles tornam o produto muito pior.” Esses bots são supostamente responsáveis por golpes baseados em criptografia na plataforma.

2. Moderação de conteúdo mais branda

Musk quer adotar uma moderação mais tolerante, sem muitas suspensões e bloqueios. É um posicionamento que agrada à extrema direita, bastante atingida pelas ações da plataforma: contas que propagavam desinfomação foram suspensas ou excluídas e tuítes foram apagados. Isso pode tornar o Twitter ainda mais tóxico do que já é? “Pode sim, claro, dependendo das escolhas feitas depois do fim da negociação”, avalia Igreja. 

3. Transparência do algoritmo

O empresário já perguntou a seus seguidores se eles concordam que o algoritmo do Twitter deveria ter código aberto — o que permite que o software seja manipulado por qualquer um para qualquer finalidade. Se isso realmente ocorrer, pode haver maior participação da comunidade e maior interesse em entender como a plataforma funciona. “Pode também tirar a barreira com relação aos competidores. Como em tudo, existem prós e contras, mas ficaria mais claro como o algoritmo determina quais conteúdos são exibidos”, explica Igreja.

4. Adição de botão de edição

A possibilidade de editar tuítes já publicados é pedida por muitos usuários — e Musk está entre eles. Isso ajudaria a corrigir erros básicos de ortografia ou links errados logo após a publicação. O Twitter diz que já trabalha no desenvolvimento da funcionalidade.

5. Cobrança de assinatura de empresas e governos

Embora garanta que “o Twitter sempre será gratuito para usuários casuais”, o empresário pensa em cobrar pelo uso de perfis comerciais e governamentais. “Se isso ocorrer, alguns podem até migrar ou dar mais prioridade a outras plataformas”, aponta Igreja. “Cada empresa e governo terá de avaliar individualmente o quanto depende da plataforma e o quanto é importante apostar nela para sua atuação.”

6. Retorno à Bolsa de Valores

O acordo entre Musk e o Twitter encerra a negociação das ações da companhia na Bolsa de Valores: a empresa agora será privada e os acionistas receberão US$ 54,20 por ação. O empresário, entretanto, já pensa em refazer a oferta inicial pública de ações (IPO) da plataforma. “Nos EUA, é muito mais fácil fazer um IPO. O empresário pode usar essa estratégia para recapitalizar e aumentar o valor de mercado da empresa. Para isso, entretanto, seria necessário consolidar as mudanças de estratégia corporativa para mostrar ao mercado uma perspectiva de crescimento interessante.” 

Apesar de todo o burburinho em torno das mudanças na plataforma, primeiramente é preciso que a aquisição seja efetivada. Depois, deve entrar em cena o instinto de Musk: que ele usa como ninguém na condução dos negócios. “Por enquanto são só conjecturas e possibilidades”, finaliza Igreja.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido