Ouvindo...

Times

Antes e depois de Cristo

Jamais houve e jamais haverá alguém como Ele

Não há dúvidas que Jesus de Nazaré é a figura histórica e religiosa mais importante de todos os tempos. Jamais houve e jamais haverá alguém como Ele. Ele é o tema de mais livros, peças, poesias, filmes e manifestações de louvor e adoração do que qualquer outro na história da humanidade. Ele acalmou tempestades com uma ordem e ressuscitou mortos com uma simples palavra. Ele transformou o mundo mediante uma vida de amor e sacrifício, a ponto de dividir a história entre antes e depois de Cristo (AC e DC). Observar com isenção o que ele fez e ouvir os seus ensinamentos é ficar atônito diante do seu poder e singularidade. Não à toa, os seus ouvintes perguntavam surpresos: “De onde lhe vêm esta sabedoria e estes poderes miraculosos?” (Mateus 13.54).

Mas, afinal, quem era esse homem? As Escrituras Sagradas anunciaram, com séculos de antecedência, a vinda de um Messias divino para toda a humanidade, e Jesus Cristo é o perfeito cumprimento dessas profecias. Veja apenas um pouquinho do que a Bíblia diz sobre Ele:

Jesus é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação (Colossenses 1.15)

Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento (Colossenses 2.3).

Pois em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da divindade (Colossenses 2.9)

Jesus, O Filho de Deus, é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. (Hebreus 1.3)

Jesus é a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem (João 1.9)

Em Jesus temos a redenção, a saber, o perdão dos pecados (Colossenses 1.14)

Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus (1 Timóteo 2.5)

Mais impressionante ainda é o que Jesus disse sobre si mesmo:

Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim (João 14.6)

Eu sou a luz do mundo. Quem me segue nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida (João 8:12)

Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê e mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá, eternamente. (João 11: 25-26)

Venham a mim todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso (Mateus 11:28)

Sua pessoa e sua obra sempre foram cercadas de muita polêmica. Hoje em dia, muitos dizem que Jesus não foi nada além de um bom homem e um grande mestre religioso. Entretanto, diante dos feitos e das declarações que Cristo fez a seu próprio respeito, há apenas três possibilidades: ou ele era um louco varrido, ou era um farsante mau-caráter, ou ele realmente era e é quem disse ser, o Filho de Deus que veio à terra para dar a sua vida para resgatar a humanidade perdida. Todo o peso de seu ensino, seus feitos milagrosos, seu caráter, seu amor incondicional, sua ressurreição e sua irresistível influência fazem estas sugestões pareceram absurdas e ilógicas.

Quem foi esse homem chamado Jesus? Parece-nos que uma das mais lúcidas respostas a essa pergunta que se repete há séculos foi dada por um cego de nascença recém curado por Jesus.

Interrogado e pressionado pelos fariseus sobre como explicaria sua cura milagrosa, ele simplesmente retrucou: “Não sei se ele é pecador ou não. Uma coisa sei: eu era cego e agora vejo” (João 9.25)

Milhares e milhares de cristãos em todo o mundo estão dizendo a mesma coisa: “Eu era cego, mas agora vejo. Jesus me fez enxergar e mudou radicalmente a minha vida”. Essa mudança permanente que Jesus opera na vida das pessoas é a maior de todas as provas de que ele é o Filho de Deus, o redentor e único caminho de salvação. Sua mensagem foi e sempre será de esperança, de misericórdia e de vida para um mundo aflito e em trevas. Foi ele quem redirecionou a história e que deseja alterar para sempre os rumos da sua história.

Paulo Mazoni é pastor presidente da Igreja Batista Central de Belo Horizonte e exerce ministério desde 1988.
Leia mais