Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Entenda o que é diástase e procedimentos que podem te ajudar

Você sabe o que é diástase? Descubra a seguir o que é a condição e como tratá-la

Apesar de o termo ter se popularizado nos últimos tempos, você sabe o que é diástase, o que a causa e como é feito o tratamento?

Para te dar essas respostas, separamos a seguir as informações mais importantes. Não deixe de conferir!

O que é diástase?

Para você entender facilmente o que é diástase, traremos uma simples definição. Trata-se do afastamento dos músculos do abdômen, de forma que a parede abdominal fique aberta.

São esses músculos os responsáveis por sustentar os órgãos internos, bem como por servir de suporte de sustentação de nossa coluna.

O que causa a diástase?

Além de saber o que é diástase, é importante entender o que a causa. De maneira direta, essa situação acontece devido ao excesso da pressão intra-abdominal, decorrente do ganho de peso em excesso ou da gestação.

Na última hipótese, é natural que os músculos do abdômen se afastem para comportar o bebê. Contudo, após seis meses, a condição deve sumir, já que o útero retorna ao tamanho original. Caso isso não ocorra, realmente tem-se a diástase.

Quais são os sintomas da diástase?

Agora que você sabe o que é diástase, é possível estar se perguntando se você tem essa condição, certo? Vale ressaltar aqui que qualquer diagnóstico só pode ser confirmado através de um médico.

Contudo, existem alguns sintomas físicos e estéticos que podem servir de alerta para que você marque uma consulta e descubra se realmente tem diástase. Entre eles, destacam-se:

  • Barriga inchada;

  • Cintura reta, sem curvatura;

  • Flacidez abdominal;

  • Afundamento da região central da barriga quando se está com a postura reta;

  • Dores nas costas;

  • Constipação intestinal;

  • Incontinência urinária.

Quais procedimentos podem ajudar no tratamento da diástase?

Além de exercícios físicos e fisioterapia, existem alguns procedimentos estéticos que auxiliam no tratamento da diástase. Veja, abaixo, quais são os principais.

Estimulação Elétrica Funcional

A estimulação elétrica funcional, também conhecida pela sigla “FES”, trata-se do uso de equipamentos que podem emitir ondas sonoras ou correntes elétricas.

As correntes e ondas têm baixa intensidade, sem causar qualquer risco à saúde, e causam a contração dos músculos que estão enfraquecidos, entre dez ou vinte minutos.

Técnica de Tuppler

Essa técnica é utilizada para casos mais leves de diástase. Ela é feita através da amarração do abdômen, utilizando uma cinta de alta compressão ou bandagens. A recomendação e todo o procedimento em si só devem ser feitos por um fisioterapeuta especialista.

Cirurgia

Nos casos mais graves, onde há um afastamento maior do que 5 cm, dores nas costas, incontinência urinária de esforço, ou outras alternativas de tratamento não tiveram muito sucesso, recomenda-se o tratamento através de cirurgia. Nela, os músculos são aproximados e costurados, podendo ser realizada tanto de forma convencional quanto por laparoscopia. Ainda, há casos em que o médico-cirurgião indica a realização junto com uma lipoaspiração ou uma abdominoplastia.

Cirurgiã Plástica mineira, radicada em São Paulo. Especialista em cirurgias estéticas, faciais e corporais. CRM: 106.491 / RQE: 25827
Leia mais