Ouvindo...

Times

Mulher que agrediu tripulante em Confins chamou homem de ‘macaco’ e policiais de ‘playboys’, diz ocorrência

Ainda segundo o boletim de ocorrência, ela estaria alcoolizada

A mulher que agrediu um tripulante da Azul em Confins neste domingo (23) chamou-o de “macaco”, agrediu-o fisicamente e também agrediu verbalmente os policiais que atenderam a ocorrência. As informações são do boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, ao qual a Itatiaia teve acesso.

De acordo com o gerente operacional da Azul no aeroporto, que foi agredido pela passageira, a mulher caiu na ponte de acesso ao avião, “demonstrando estar com sintomas de embriaguez alcóolica”. Ele, então, foi ao assento dela, ofereceu atendimento médico e convidou-a a sair da aeronave. Este seria o protocolo da Aviação Civil, segundo o gerente.

Ainda segundo o gerente, o comandante da aeronave acionou o posto médico, mas não houve atendimento. Com isso, o comandante da aeronave proibiu o reembarque da passageira, quando foi chamado por ela de “comandantezinho”.

Fora da aeronave, ela foi informada que seria colocada em outro voo. Ao ter seus pertences restituídos, ela iniciou as agressões, segundo o Boletim de Ocorrência. A mulher proferiu injúrias raciais contra o gerente operacional, chamando-o de “macaco”, “preto”, “vagabundo”. Também menosprezou o cargo dele, que chamou de “empreguinho” e disse “você precisa mostrar trabalho, babaca, você está feliz por ter desembarcado uma patricinha do avião”. Ela, então, começou a dar chutes, socos e tapas no rosto da vítima. Segundo o Boletim de Ocorrência, a vítima não apresentou lesões e dispensou atendimento médico.

Ofensas

Um segundo funcionário da Azul, agente aeroportuário que auxiliava na situação, também foi ofendido pela passageira. Além de confirmar o relato do gerente operacional, ele afirmou que, ao se aproximar da mulher, ela o chamou de “pobre” e “ferrado”.

Os dois funcionários da Azul acionaram a Polícia Federal e a segurança do Aeroporto, pois estavam em área restrita. Toda a ação foi filmada, inclusive as agressões, e os vídeos foram entregues à polícia.

“Playboys”

Os policiais que atenderam a ocorrência também foram agredidos verbalmente pela mulher. No boletim de ocorrência, relatam que, durante a prisão, eles foram chamados de “playboys que viraram policiais”, “moleques” e “babacas”. A mulher recebeu voz de prisão, foi levada ao posto militar para registro da ocorrência e demonstrou estar “muito alterada” e sob efeito de álcool.

Leia também

O que diz a passageira

A Itatiaia tentou conversar com a passageira na Delegacia de Vespasiano, mas ela não quis dar entrevista.

No Boletim de Ocorrência, ela afirma que já estava no avião quando foi surpreendida pelo gerente, que pediu para ela sair da aeronave. Ela alega ter obedecido para “evitar constrangimento”. Ao questionar o motivo para a expulsão, ela foi informada de que estaria bêbada. A passageira diz afirma que explicou ao tripulante que não podia perder o voo, pois tinha compromisso de trabalho em Natal, e que teria sido retirada pelos braços.

A mulher afirmou, também, que se exaltou ao perceber que não estava sendo ouvida, apesar de argumentar e questionar, e também notou que estava sendo monitorada. Foi quando resolveu sair de perto da equipe da companhia aérea. Ela diz, então, que foi abordada pelos policiais federais, que deram voz de prisão em flagrante.

O que diz a companhia aérea

Em nota, a companhia aérea Azul disse que vai “repudia veementemente” o caso e que vai “adotar as medidas cabíveis”. Leia a íntegra:

A Azul informa que uma Cliente indisciplinada no voo AD2562 (Belo Horizonte-Natal) foi orientada a desembarcar por comportamento inadequado. No momento do desembarque, a Cliente agrediu física e verbalmente um Tripulante da Azul.

A autoridade de segurança foi chamada para acompanhar o desembarque e, em seguida, os conduziu para delegacia para registrar depoimento e conduzir a apuração do caso.

A Azul ressalta que repudia veemente qualquer tipo de ofensa ou agressão aos Clientes e seus Tripulantes, sendo certo que serão adotadas as medidas cabíveis.

O caso

Uma mulher foi expulsa de uma aeronave da Azul, no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, por “comportamento inadequado” dentro da aeronave. A passageira tinha embarcado no voo da companhia Azul de código AD2562, previsto para decolar às 13h30 de Belo Horizonte com destino a Natal. As informações iniciais da ocorrência diziam que a mulher, que seria advogada e superintendente jurídica de uma empresa, iria para Natal para uma palestra.

No entanto, antes da decolagem, ela foi retirada da aeronave por comportamento indevido. Na saída, quando já estava no finger (ponte que liga a aeronave à sala de embarque), a mulher agrediu física e verbalmente o supervisor da companhia aérea, dizendo insultos racistas. O caso foi registrado pela Polícia Federal e também pela Polícia Militar no aeroporto. A mulher e o supervisor foram levados para a Delegacia de Polícia Civil de Vespasiano.


Participe dos canais da Itatiaia:

Formado em jornalismo pela PUC Minas, foi produtor do Itatiaia Patrulha e hoje é repórter policial e de cidades na Itatiaia. Também passou pelo caderno de política e economia do Jornal Estado de Minas.
Coordenadora de jornalismo digital na Itatiaia. Jornalista formada pela UFMG, com mestrado profissional em comunicação digital e estratégias de comunicação na Sorbonne, em Paris. Anteriormente foi Chefe de Reportagem na Globo em Minas e produtora dos jornais exibidos em rede nacional.
Leia mais