Ouvindo...

Times

Covid-19: PBH recebe 9 mil doses para vacinar crianças de 3 a 4 anos, mas quantitativo ainda é insuficiente

Belo Horizonte possui, ao todo, 51 mil crianças de 3 a 4 anos

Belo Horizonte precisaria de 102 mil doses de Coronavac - vacina contra a Covid-19 - para imunizar por completo crianças de 3 a 4 anos. Até o momento, a capital recebeu 20 mil doses para a faixa-etária, mas nesta sexta-feira (18) mais 9 mil vacinas chegam ao município mineiro.

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (17), a secretária de Saúde Claudia Navarro explicou que a capital possui 51 mil crianças dentro desta faixa-etária e que para elas completarem o esquema vacinal são necessárias 102 mil doses - para 1ª e 2ª dose.

Se somadas as 20 mil doses mencionadas pela chefe da pasta, mais as nove mil que chegam à cidade nesta sexta, são 29 mil recebidas até o momento na cidade - número distante do quantitativo ideal. “Na realidade, o que nós recebemos não garante que toda essa faixa etária seja vacinada”, esclareceu Navarro.

Até o momento, 25% das crianças de 3 a 4 anos receberam a primeira dose da vacina e 9% a segunda. “Nós temos convocado, a princípio, aquelas crianças que já receberam a primeira dose [...] O município não tem condições de adquirir vacina. As vacinas são todas distribuídas pelo Ministério da Saúde, que repassa para os Estados e a Secretaria Estadual de Saúde repassa para os municípios”, disse.

Crianças de 6 meses a 2 anos

Para o público de 6 meses a 2 anos de idade, apenas quem possui alguma comorbidade está sendo imunizado. Segundo a secretária, o município recebeu 5,6 mil doses da Pfizer pediátrica e 2,8 mil crianças podem ser vacinadas - já que cada uma precisa receber duas doses da vacina.

Conforme ela esclareceu, para evitar desperdício de imunizantes, já que cada frasco possui dez doses e têm duração de 12 horas, a vacinação para o público está sendo concentrada em nove Centros de Saúde da capital. “Nós concentramos a vacinação em um Centro por regional”.

Leia também:

Vacinação infantil

Claudia Navarro disse que a PBH realiza campanha nas escolas para estimular pais ou responsáveis a vacinarem ou autorizarem a imunização de seus filhos. “Apesar de estar no Estatuto da Criança, nós não podemos vacinar nenhuma criança sem autorização dos pais [...] Inclusive, isso dificulta até mesmo nossas ações nas escolas”, afirmou.

De acordo com a secretária, são enviados informativos para os pais explicando a importância da vacinação e pedindo consentimento a eles. No entanto, muitos deixam de responder.

Patrícia Marques é jornalista e especialista em publicidade e marketing. Já atuou com cobertura de reality shows no ‘NaTelinha’ e na agência de notícias da Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt). Atualmente, cobre a editoria de entretenimento na Itatiaia.
Leia mais