Ouvindo...

Times

Governo federal anuncia construção de campus da UFOP em Ipatinga

Proposta prevê aporte de R$ 60 milhões para a efetivar a criação da universidade federal no Vale do Aço

Na manhã desta segunda-feira (10), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), junto de Camilo Santana, ministro da Educação, e demais representantes do governo federal, reuniram com reitores das universidades federais no Palácio do Planalto, em Brasília. Na oportunidade, foram anunciados a construção de novos 10 campi de universidades federais, sendo um deles em Ipatinga, no Vale do Aço.

Trata-se da expansão do campus da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) para a região que tem baixa cobertura de matrículas públicas nessa etapa de ensino. Serão investidos R$ 60 milhões para materializar o sonho antigo da localidade, que conta apenas com cursos técnicos de instituições públicas, ofertados pelo Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG), em Ipatinga, e o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet), em Timóteo.

Ao todo, será feito um aporte de R$ 5,5 bilhões do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC) para unidades federais, que será dirigido à criação de dez novos campi, espalhados pelas cinco regiões do país, e a melhorias na infraestrutura de todas as 69 universidades federais. Além disso, serão repassados recursos para 31 hospitais universitários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), sendo oito novos.

Do total, R$ 3,7 bilhões serão usados para obras em câmpus já existentes, como a criação de salas e laboratórios, R$ 600 milhões serão para novos câmpus, e R$ 1,75 bilhão para reformas em hospitais universitários.

Além de Ipatinga, serão construídos novos campi nas cidades de São Gabriel da Cachoeira (AM); Rurópolis (PA); Cidade Ocidental (GO); Baturité (CE); Estância (SE); Jequié (BA); Sertânia (PE); São José do Rio Preto (SP); e Caxias do Sul (RS). As localidades foram escolhidas com o objetivo de ampliar a oferta de vagas da educação superior em regiões com baixa cobertura de matrículas públicas nessa etapa de ensino.

Proposta de criação da universidade federal em Ipatinga

No ano passado, a reivindicação para que o Vale do Aço recebesse uma instituição federal de ensino superior voltou a ganhar força a partir da |proposta apresentada ao governo federal, por Léo Patrick, assessor legislativo do deputado federal Leonardo Monteiro (PT). A sugestão ficou disponível para apoio na plataforma Brasil Participativo e recebeu mais de 2 mil votos favoráveis, ficando em primeiro lugar no Estado de Minas Gerais.

“Essa é uma conquista de um time e passou por várias mãos. Trabalhamos incansavelmente em defesa do Vale do Aço junto ao Ministério da Educação, para sensibilizá-los da necessidade de repararmos essa dívida do governo federal com a nossa região. Já que o governo não pretende, no momento, abrir novas universidades, construímos o que foi possível para que nossa cidade fosse contemplada, tendo sido o projeto da UFOP o mais viável para que nosso sonho se realize”, afirma Léo Patrick, autor da proposta.

Quase saiu do papel

Não é a primeira vez que o governo federal anuncia a instalação da UFOP em Ipatinga. Durante a gestão da então prefeita, Cecília Ferramenta (PT), entre 2013 a 2016, foram feitas tratativas necessárias para que o campus se viabilizasse no município.

Durante o processo, a Câmara de Ipatinga chegou a destinar o terreno para construção do prédio que abrigaria o curso de medicina, no bairro Cidade Nobre. No entanto, foi alegado que a falta de recursos instituída pelo Teto dos Gastos Públicos não permitiu que a proposta se materializasse.

Hospitais universitários

Aos hospitais universitários foi destinado um montante de R$ 1,5 bilhão, em agosto de 2023. Neste ano, o programa de investimentos do governo federal vai garantir recursos adicionais de R$ 250 milhões para os hospitais da Rede Ebserh/MEC, totalizando R$ 1,75 bilhão. O valor será usado para melhoria das condições e do funcionamento dessas unidades de saúde. São 2 hospitais no Centro-Oeste, com um investimento de R$ 66 milhões; 14 no Nordeste, onde o repasse chegará a R$ 572 milhões; 3 no Norte, onde serão investidos R$ 160 milhões; 7 no Sudeste, onde o custo previsto é de R$ 550 milhões; e 5 no Sul, a R$ 385 milhões. Oito hospitais são novos e estão ligados às Universidades Federais de Pelotas (RS); de Juiz de Fora (MG); de Lavras (MG); do Acre; de Roraima; do Rio de Janeiro; de São Paulo; e do Cariri (CE).

Assistência estudantil

Para garantir a permanência dos estudantes na educação superior, o MEC também está ampliando o Programa Bolsa Permanência (PBP) em 5.600 novas vagas, por meio de um aporte de mais R$ 35 milhões, o que deixa o programa com um orçamento de R$ 233 milhões (um aumento de 135% em relação a 2022 e de quase 60% em relação a 2023). Com isso, todos os estudantes indígenas e quilombolas de universidades e institutos federais passarão a ser atendidos pelo programa. Atualmente, cerca de 13 mil alunos nesse perfil fazem parte do PBP. A partir deste ano, a cobertura ultrapassará 18 mil beneficiários. O valor da bolsa para esse grupo de estudantes é de R$1.400, desde 2023.

Leia mais