Ouvindo...

Times

Venezuela acusa Argentina de ‘roubar’ Boeing e fecha espaço aéreo: entenda conflito

Governo de Nicolás Maduro e Javier Milei trocam acusações em meio a conflito diplomático envolvendo Estados Unidos e Irã

A Venezuela fechou seu espaço aéreo para aeronaves que tenham como origem ou destino a Argentina, em represália à apreensão de um avião de carga entregue às autoridades dos EUA.

A medida foi anuncia pelo ministro das Relações Exteriores venezuelano, Yván Gil, na rede X (ex-Twitter), nessa terça-feira (12). O governo do presidente Javier Milei entrou com uma ação diplomática contra a decisão que afetou os voos internacionais da Argentina.

“A Argentina não se deixará ser extorquida pelos amigos do terrorismo”, disse o porta-voz da Presidência, Manuel Adorni, em relação governo do presidente Nicolás Maduro.

As relações entre Venezuela e Argentina caíram vertiginosamente após a chegada do presidente Javier Milei ao poder, com quem Nicolás Maduro troca insultos com frequência.

Leia também

De ideologistas opostas, os dois presidentes escalam o conflito política, agora, para o espaço aéreo da América do Sul.

O caso

Em 12 de fevereiro, os Estados Unidos concluíram a apreensão do Boeing 747 de carga da Emtrasur, filial da companhia aérea estatal venezuelana Conviasa, sancionada por Washington.

O avião Boeing 747 de carga da Emtrasur foi retido em Buenos Aires desde junho de 2022 por uma ordem judicial. A Conviasa já estava sujeita a sanções por parte dos Estados Unidos desde 2020.

Posteriormente, a aeronave foi vendida à Venezuela pela linha aérea iraniana Mahan Air, que também estava sujeita a sanções.

A carga foi “sequestrada” pelas autoridades quando chegou do México com um carregamento de peças automotivas. A tripulação - composta por 14 venezuelanos e cinco iranianos - foi liberada.

Um juiz autorizou o confisco do avião por parte dos Estados Unidos em fevereiro, entre acusações de “roubo” por parte de Caracas. O presidente Maduro denunciou dias depois o “desmantelamento” da aeronave.

“O governo neonazista da Argentina, não é apenas submisso e obediente a seu amo imperial”, assinalou chanceler da Venezuela, nessa terça-feira (12).

O governo Maduro acusa Milei de “pirataria e roubo contra a Venezuela”, “advertidas em diversas ocasiões antes” da aprenssão da Emtrasur.

*Com informações da AFP

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Formado em Jornalismo pela UFMG, com passagens pelo jornal Estado de Minas/Portal Uai. Hoje, é repórter multimídia da Itatiaia.
Leia mais