Ouvindo...

Times

Ano bissexto já teve dois dias 24 de fevereiro e outubro com ‘dias perdidos’; entenda como surgiu

Romanos foram responsáveis pela criação dos anos bissextos, que também teve ajuda de egípcios e de um Papa

Você dorme hoje e é 4 de outubro, ao acordar amanhã, já é dia 15 de outubro. Não, você não estava em coma. Isso aconteceu no mundo no ano de 1582 e ficaram conhecidos como “os dias perdidos” e tem relação com a criação dos anos bissextos.

Para entender os dias perdidos primeiro é necessário aprender a necessidade de criação dos anos bissextos.

Os anos bissextos surgiram porque os romanos perceberam que o calendário da época e o ano solar eram muito diferentes. O imperador Júlio César pediu que o astrólogo Sosígenes, achasse uma forma de diminuir a diferença entre o calendário e o ano solar. Antes do calendário juliano - como ficou conhecido posteriormente - o calendário que vigorava em Roma era dividido em 355 dias e 12 meses, o que causava um grande desajuste ao longo do tempo, pois as estações do ano passavam a ocorrer em datas diferentes.

Leia também

Sosígenes se baseou nos egípcios e afirmou que era preciso 365 dias e um dia adicional a cada quatro anos. Para entrar na lógica criada pelos egípcios, foi necessário criar, em 46 a.C., um ano com 15 meses e 455 dias para compensar a defasagem. Esse ano ficou conhecido como o “ano da confusão”. A reforma instituiu o ano depois de 45 a.C. com 365 dias e seis horas, divididos em 12 meses. As horas que sobravam de cada ano seriam compensadas a cada quatro anos com a inclusão de mais um dia em fevereiro, os dias bissextos.

Os dias completos foram divididos por 12, assim alguns ficaram com 30 e outros com 31 dias. Mas fevereiro ainda era um caso à parte.

Fevereiro é um caso à parte

Fevereiro tem regularmente 28 dias, isso aconteceu porque quando o imperador Júlio César morreu, o senado romano decidiu homenageá-lo e alterou o nome do mês Quintilis, que já tinha 31 dias, para Julius (julho). Quando o imperador César Augusto morreu, o caminho tomado pelos romanos foi o mesmo. O mês de Sextilis passou a chamar-se Augustos. No entanto, esse mês tinha 30 dias e para que as homenagens ficassem iguais, os romanos optaram por retirar um dia de fevereiro e adicionar em agosto.

Fevereiro, que já tinha uma data um dia a menos, por conta da repetição em anos bissextos, ficou com 28 dias em anos comuns e 29 em bissextos. Na época, o dia adicional dos anos bissextos era feito através da duplicação do dia 24; fevereiro tinha dois dias 24.

No entanto, mesmo com um ano de 15 meses e alterações nos calendários, ainda se tinha uma diferença de 80 dias em relação ao ano solar. Em 1582, para tentar corrigir alguns erros do calendário juliano, o papa Gregório XIII fez mudanças para tentar diminuir a diferença de duração do ano e o calendário

A reorganização das datas mudou o dia adicional dos anos bissextos de 24 para 29 de fevereiro. Além disso, com a ajuda de um outro astrônomo, Christopher Clavius, o papa determinou que o dia posterior a 4 de outubro de 1582 fosse 15 de outubro. Essa supressão dos dias ficou conhecida como “dias que nunca aconteceram” ou “dias perdidos”, diminuindo a diferença de 11 dias que havia sido gerada desde o período juliano para que o calendário pudesse ser ajustado.

E quem nasce em 29 de fevereiro?

De acordo com a Central Nacional de Informações do Registro Civil, administrada pela Arpen-Brasil e que cuida dos registros de todos os nascimentos em território nacional, em 2020, último ano bissexto, foram registrados 539 nascimentos em todo o território mineiro.

Os hospitais emitem a ‘Declaração de Nascido Vivo’ que é levada aos cartórios para registrar o nascimento de crianças. E o dia 29 de fevereiro é a data do registro oficial. Mas o que muitos aniversariantes do dia acabam por fazer é “escolher” um dia para comemorar nos ‘anos normais’, ou 28 de fevereiro ou 1° de março.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Graduada em Jornalismo pela PUC Minas, é repórter da Itatiaia desde abril de 2023, na equipe de redes sociais. Já passou pela redação do jornal Estado de Minas, tem experiência principalmente em vídeos, podcasts e reportagens multimídia.
Leia mais