Ouvindo...

Times

O que se sabe sobre a queda de avião com prisioneiros ucranianos na Rússia?

Os russos acusam a Ucrânia de derrubar o avião de propósito para culpar o presidente Vladimir Putin

Um acidente aéreo ocorrido nesta quarta-feira (24) na Rússia, próximo à fronteira com a Ucrânia, aumentou as tensões entre os dois países, que enfrantam um conflito armado há quase dois anos.

A Rússia acusa Kiev de derrubar o seu avião militar que transportava 65 prisioneiros ucranianos, que seriam trocados por priosioneiros russos.

Todas as pessoas a bordo morreram, incluindo os 65 soldados ucranianos, três militares russos e seis tripulantes.

Leia também

O incidente aconteceu perto da vila de Yablonovo, na região de Belgorod, há 45 km da Ucrânia.

Enquanto o Kremlin promete apurar as causas do acidente, autoridades russas acusam a Ucrânia de matar os próprios prisioneiros para “culpar” o presidente Vladimir Putin.

O Ministério da Defesa disse que o Exército ucraniano estava ciente da troca entre priosioneiros.

A Rússia alega que dois mísseis foram lançados pela Ucrânia a partir de um sistema de defesa antiaérea, localizado na região de Kharkiv.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o avião caindo verticalmente e explodindo ao atingir o solo, em meio a chamas e muita fumaça.

Ucrânia pede cautela

Por sua vez, o governo ucraniano, do presidente Volodymyr Zelensky, pediu que não fossem tiradas “conclusões apressadas” sobre o caso.

Os serviços de inteligência militar da Ucrânia disse que não possuia informações sobre os passageiros a bordo do avião, que supostamente transportava 65 prisioneiros ucranianos e caiu em solo russo.

A Ucrânia confirmou que tinha uma troca de prisioneiros prevista, mas diz que não foi informada sobre a necessidade de garantir a segurança do espaço aéreo no local do acidente.

O incidente incrementa mais uma capítulo da guerra no Leste europeu, que teve início com invasão russa a Ucrânia, em fevereiro de 2022.

Ambos os países acusam o adversário de ataques e violações dos direitos humanos durante o conflito.

*Com informações da AFP

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Formado em Jornalismo pela UFMG, com passagens pelo jornal Estado de Minas/Portal Uai. Hoje, é repórter multimídia da Itatiaia.
Leia mais