Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Abel avalia virada do Palmeiras e brinca sobre joia: ‘Que vá pra Disney’

Treinador alviverde acredita que time entrou desligado em jogo com Liverpool; sobre Estêvão, técnico fez referência à fala que usou quando Endrick surgiu e rasgou elogios à nova promessa

O técnico Abel Ferreira admitiu que o Palmeiras entrou um pouco desligado na partida desta quinta-feira (11), no Allianz Parque, diante do Liverpool. Mas, depois que o time ativou “o modo competitivo”, virou o placar para 3 a 1 e ainda viu a primeira grande noite do jovem atacante Estêvão, autor de um dos gols do primeiro triunfo alviverde nesta Copa Libertadores e que fez apenas a primeira partida como titular.

“Que ele vá para Disney porque um foi e foi vendido ao Real Madrid. Mas, espero que não sejas vendido (olha para Estêvão) e fiques aqui conosco (risos). Fico feliz que fizeste um bom jogo, mas do mesmo modo dizia calma que tudo acontece no tempo de Deus. Fico feliz porque merece, fruto do trabalho dele também”, disse Abel Ferreira, que concedeu entrevista coletiva ao lado da jovem promessa.

“Parabéns aos pais dele, que certamente são bons pais, porque é um bom moleque. Luis, Estêvão, Endrick, são meninos de bom coração. Eu como treinador e formador, e vocês como jornalistas acredito que em cinco, seis anos as coisas podem ser muito boas, não para mim, para o Brasil”, acrescentou.

A história de “ir para a Disney” virou uma das falas mais marcantes de Abel Ferreira no Palmeiras. Em 2022, o treinador estava sendo cobrado pela torcida para levar Endrick ao Mundial de Clubes. Na época, o atleta tinha apenas 15 anos.

O treinador decidiu não selecioná-lo e indicou que ele deveria ir para o parque de diversões nos Estados Unidos.

Estêvão está sendo lapidado por Abel Ferreira para entrar aos poucos no time, assim como aconteceu com Endrick. Mas, o talento do jogador parece querer pular etapas.

Com o gol marcado sobre Liverpool, Estêvão se tornou o terceiro mais jovem a balançar as redes na história do Palmeiras.

Modo competitivo

Sobre a vitória de virada sobre o Liverpool, Abel Ferreira destacou que o time mudou de postura, principalmente na volta do intervalo.

“Meus jogadores sabem que quando ligam o modo competitivo podem ganhar como qualquer equipe. Sei que entramos um pouco desligados, sofremos o gol cedo e isso condicionou, mas o intervalo foi pouca coisa. Temos que ter mais bola para chegar e atacar bem. Foram muitos erros técnicos na primeira parte, o jogo estava muito bom para o sistema do adversário, precisamos ter calma para ligar os passes e desmontar a linha de cinco”, declarou.

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Brenno Costa é jornalista multimídia formado pela Universidade Católica de Pernambuco e pós-graduado em comunicação e marketing pela Estácio. Atualmente, é correspondente da Itatiaia em São Paulo. Antes, trabalhou na Folha de Pernambuco, Diario de Pernambuco/Superesportes e no Globo Esporte.
Leia mais