Ouvindo...

Times

Recurso, renovação e treinos: a situação de Gabigol no Flamengo

Enquanto recorre à Corte Arbitral do Esporte (CAS), o atacante do Flamengo está impedido de participar de atividades no Ninho do Urubu

Gabigol, atacante do Flamengo, vive uma situação inédita em sua carreira a partir da decisão da Justiça Desportiva Antidopagem, que o suspendeu por dois anos pela tentativa de fraude em exame antidoping. O jogador está proibido de utilizar as dependências do clube até abril de 2025, ao menos enquanto o recurso na Corte Arbitral de Esporte (CAS) não é julgado.

A defesa do jogador aguarda a publicação da decisão no CAS para pedir entrar com o recurso e o efeito suspensivo. A resposta do Tribunal pode levar até duas semanas. Após a suspensão, o Flamengo posicionou-se afirmando estar surpreso com a condenação. O departamento jurídico do Rubro-Negro auxiliará o atleta - que divulgou um comunicado - em sua defesa.

Longe do Ninho do Urubu

A suspensão não proíbe apenas Gabigol de entrar em campo, mas o impede, inclusive, de utilizar as dependências do clube. Ou seja, o atacante não pode realizar atividades no Ninho do Urubu. A definição do local onde o camisa 10 manterá a forma física a partir dos próximos dias está a cargo da direção do Flamengo.

O trabalho será acompanhado pelo departamento de futebol, e profissionais do clube devem estar diariamente com Gabigol. O clube avalia opções na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Zico, ídolo do Flamengo, ofereceu a estrutura do CFZ (Centro de Futebol do Zico), no Recreio dos Bandeirantes, para o jogador - veja mais aqui.

Leia também

Renovação em segundo plano

Com contrato até dezembro de 2024, Gabigol já vivia um impasse em relação a seu futuro no Flamengo antes da decisão do TJD. As tratativas entre a diretoria e o atacante tiveram início ainda no início de 2023 e estiveram perto de um desfecho em outubro. Desde então, dirigentes e empresários de Gabi dão versões distintas.

Com a suspensão de dois anos - que foi estipulada com início em abril de 2023 e válida até abril de 2025 -, o Flamengo poderia suspender o vínculo de Gabigol, mas não optou por isso. A diretoria entende “que não houve qualquer tipo de fraude, nem mesmo tentativa, a justificar a punição aplicada”.

A defesa de Gabigol e o departamento jurídico confiam que a decisão do TJD será revertida. Por 5 votos a favor a 4 votos contra a suspensão, o atual camisa 10 do Flamengo respondeu por infração ao artigo 122 do Código Brasileiro Antidopagem (CBA), que prevê pena de até quatro anos de suspensão do esporte.

Participe dos canais da Itatiaia Esporte:

Jornalista e correspondente da Itatiaia no Rio de Janeiro. Apaixonado por esportes, pela arquibancada e contra torcida única.
Leia mais